Brasil

PSB nega apoio a Rodrigo Maia e acena a bloco de centro-esquerda

Sigla espera uma posição de PDT e PCdoB para decisão conjunta que pode incluir MDB, PP e PTB
Rodrigo Maia é presidente da Câmara dos Deputados. Crédito da foto: Marcelo Camargo / Agência Brasil (8/2/2018)

Deputados do PSB se reuniram nesta quinta-feira (10) em Brasília e, em uma votação consultiva, indicaram por ampla maioria que o partido não apoiará a candidatura do atual presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), à reeleição. De acordo com o líder do PSB na Câmara, Tadeu Alencar (PE), o apoio oficial do PSL a Maia teve impacto determinante no sentimento da sigla.

“Quando Maia não era visto como um candidato do governo, isso era um ativo dele. Mas, no momento em que o partido do presidente (Jair Bolsonaro) aderiu à chapa de Maia, sua chapa passou a ser identificada com a agenda do governo.” Maia disse a Alencar que “não fez uma aliança com o governo e, sim, com o PSL”.

Leia mais  PSL decide apoiar reeleição de Rodrigo Maia na presidência da Câmara

 

Participaram da reunião 22 parlamentares do PSB. A sigla espera uma posição de PDT e PCdoB – os três integram um bloco -, para tomar uma decisão conjunta sobre quem será o candidato do grupo

Ao mesmo tempo, há em curso uma articulação para ampliar o bloco de centro-esquerda, com a inclusão de MDB, PP e PTB, o que reuniria 150 deputados. Se o grupo for fechado, é possível que seja definida uma candidatura própria à presidência da Câmara. Isso poderia desequilibrar o jogo, que, atualmente, é favorável a Maia, que já angariou apoio de 10 siglas.

A articulação de um bloco de centro-esquerda visa garantir espaços importantes na direção da Câmara e no comando das comissões temáticas, que são divididas conforme o tamanho dos blocos parlamentares.

Segundo deputados ouvidos pelo Estadão/Broadcast, não está descartada a possibilidade de o bloco procurar o PT, que poderá ser a maior bancada da Câmara (56 deputados). Havia um acordo de que Maia não procuraria os dois maiores partidos da próxima legislatura – PT e PSL – durante a sua campanha. (Camila Turtelli e Mariana Haubert – Estadão Conteúdo)

Comentários

CLASSICRUZEIRO