Brasil

Número de casos suspeitos de coronavírus no Estado cai de 163 para 130

Os dois pacientes infectados pela doença, únicos casos confirmados no País até o momento, passam bem
Número de casos suspeitos de coronavírus no Estado cai de 163 para 130
Coletiva de imprensa sobre coronavírus na Secretaria de Saúde. Crédito da foto: Governo do Estado de São Paulo (3/3/2020)

O número de casos suspeitos do novo coronavírus, o Covid-19, passou de 163 para 130, segundo boletim divulgado nesta terça-feira (3) pela Secretaria de Estado da Saúde. Os dois pacientes infectados pela doença, únicos casos confirmados no País até o momento, passam bem, mas ainda apresentam sintomas e permanecem em isolamento.

Os dados por cidades ainda não foram atualizados pelo governo Estadual. No último boletim oficial da Secretaria da Saúde de São Paulo, divulgado segunda-feira (2), Sorocaba tinha quatro casos suspeitos. Na Região Metropolitana de Sorocaba, outras três cidades estavam presentes na lista. Ibiúna tinha 2 casos, Tietê e São Roque um.

Coordenador de Controle de Doenças da pasta, Paulo Menezes informou que, nas últimas 24 horas, quase 60 casos suspeitos da doença foram descartados. “De ontem para hoje, 56 foram descartados, porque tiveram exames negativos para o coronavírus e tivemos 23 novas notificações. Os casos suspeitos que tínhamos de contactantes com os casos confirmados foram descartados. (Os pacientes infectados) estão evoluindo bem, mas ainda apresentam alguns sintomas que pedem isolamento domiciliar.” Segundo Menezes, todos os casos suspeitos são importados.

Reunião em São Paulo

Os dados foram apresentados após reunião do Centro de Contingência de Coronavírus do governo do Estado de São Paulo. O secretário de Estado da Saúde, José Henrique Germann, afirmou que 2 mil profissionais da rede já foram capacitados para lidar com a doença e que uma campanha nos veículos de comunicação sobre o Covid-19 vai começar a ser veiculada nesta terça-feira.

Durante a coletiva, o secretário e o coordenador do Centro de Contingência, o infectologista David Uip, defenderam que a Organização Mundial da Saúde (OMS) passe a classificar a situação como uma pandemia. “Se ele (coronavírus) está nos cinco continentes, é porque é pandêmico. Nesse sentido, de fato, estamos esperando que rapidamente a OMS coloque isso”, afirma Germann.

Uip completou: “Eu pleiteio que se torne pandemia. O secretário e o Ministério da Saúde pleiteiam, mas quem determina é a OMS”.

Calma

Em coletiva na segunda-feira (2), a OMS pediu calma e informou que é possível desacelerar a epidemia. O diretor-geral da entidade, Tedros Adhanom Ghebreyesus, comparou a doença com a influenza comum.

De acordo Menezes, a mudança na classificação faria com que os critérios de avaliação dos casos suspeitos deixasse de ter como base a procedência dos pacientes. Ele afirmou ainda que, caso o vírus passe a ser transmitido de pessoa a pessoa no Brasil, os critérios também serão atualizados “Se estiver circulando entre a população, será pela sintomatologia, pela gravidade e não mais pelo critério de procedência de onde o vírus está circulando.”

Coronavírus no Brasil

Os dois casos confirmados da doença no País foram registrados em São Paulo: um homem de 61 anos e outro de 32, que, segundo o Ministério da Saúde, estão bem. Eles não apresentaram problemas de saúde ou complicações decorrentes da doença nem foram registrados sinais e sintomas nas pessoas que convivem com eles

No último levantamento divulgado pela Secretaria de Estado da Saúde, São Paulo registrava 163 casos suspeitos da doença, dos quais 71 eram na capital. O segundo município com mais casos suspeitos era Campinas, com 11 registros.

Leia mais  Vigilância Epidemiológica confirma quatro casos de sarampo em Sorocaba

 

No Brasil, o número de casos suspeitos de infecção pelo novo coronavírus aumentou de 252 para 433, segundo o último boletim do Ministério da Saúde, divulgado na tarde desta segunda-feira, 2. (Paula Felix – Estadão Conteúdo)

Comentários