Brasil

Mozart não está descartado para Ministério da Educação, diz Lorenzoni

O educador foi convidado pelo presidente eleito Jair Bolsonaro para assumir a pasta
Mozart Neves Ramos é diretor de Articulação e Inovação do Instituto Ayrton Senna. Crédito da foto: Reprodução / Universidade Tiradentes

O ministro extraordinário da Transição, Onyx Lorenzoni, disse nesta quinta-feira (22) que o nome do educador Mozart Neves Ramos para o Ministério da Educação não está descartado. Nesta quarta-feira (21), como informou o Blog da Renata Cafardo no Portal do Estadão, o educador foi convidado pelo presidente eleito Jair Bolsonaro para assumir a pasta, mas a indicação provocou reação da bancada evangélica da Câmara, que quer aprovar o projeto Escola Sem Partido.

Onyx disse que a equipe de transição procurou o Instituto Ayrton Senna para buscar um diagnóstico da educação, mas que o nome de Mozart vazou “sem que houvesse nenhuma definição por parte do governo de transição”. Mozart é diretor do Instituto. “Temos profundo respeito pelo professor Mozart”, disse Onyx.

“Em nenhum momento, nenhum membro do gabinete de transição e tampouco o presidente da República deram qualquer indicativo de que havia definição”, disse o ministro no Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB), onde a equipe de transição está instalada. Ele agradeceu a contribuição do Instituto e disse ainda que educação será uma “bandeira afirmativa” do governo Bolsonaro.

Leia mais  Unesp adia 2ª fase do vestibular devido ao agravamento da pandemia

“Temos pedido para que tenhamos uma trégua e um tempo de paz para que possamos construir as propostas do novo governo. O Instituto, a Vivianne (Senna, presidente da entidade) e o professor Mozart sofreram ataques desnecessários, indevidos e desconectados”, disse Onyx. (por Luisa Marini, especial para AE, e Luciana Dyniewicz)

Comentários