Brasil

Meio ambiente desiste de alterar meta de redução de desmatamento

Meta de reduzir em 90% as ações ilegais em todos os biomas - não só na Amazônia; garante Ministério da Economia
Salles queria trocar objetivo pela garantia de preservação de apenas uma área específica. Foto: Emídio Marques / Arquivo JCS

 

O Ministério do Meio Ambiente recuou da tentativa de alterar a meta de reduzir em 90% o desmatamento e os incêndios ilegais em todo o País, previsto no Plano Plurianual (PPA) do governo até 2023. A pasta comandada por Ricardo Salles queria trocar este objetivo pela garantia de preservação de apenas uma área específica de 390 mil hectares de vegetação nativa na Amazônia por meio de um programa recém-criado, o Floresta+ Amazônia.

O recuo foi informado pelo Ministério da Economia na noite desta terça-feira (4). Segundo nota da pasta, o Meio Ambiente mantém a meta de reduzir em 90% as ações ilegais em todos os biomas – não só na Amazônia -, mas pede envolvimento de outros ministérios em ações de controle, como a Agricultura, Justiça e Defesa.

“Nesse contexto, a proposta inicial de alteração da meta apresentada pelo MMA (Ministério do Meio Ambiente) precisou ser ajustada para se adequar aos critérios legais, o que foi feito pelo MMA ao propor uma nova redação para análise do ME (Ministério da Economia)”, diz a nota da Economia. (Estadão Conteúdo)

Comentários