Brasil

Governo estadual desiste de anunciar medidas mais restritivas para o Estado de São Paulo

Na fase vermelha podem funcionar somente as atividades consideradas essenciais
Governador João Doria durante coletiva de imprensa. Crédito da Foto: Divulgação / Governo de SP

O governador João Doria não anunciou nenhuma nova restrição em relação a atual fase vermelha do Plano São Paulo, a mais restritiva, em que está todo o Estado de São Paulo. Na fase vermelha podem funcionar somente as atividades consideradas essenciais.

Havia uma expectativa de que o governador anunciasse medidas ainda mais restritivas, como a chamada fase roxa, por conta do aumento dos casos de Covid-19 em todo o Estado. Porém, tais medidas não estão totalmente descartadas nos próximos dias, caso haja necessidade por conta da evolução do vírus.

Durante a entrevista coletiva desta quarta-feira (10), no Palácio dos Bandeirantes, sobre informações do combate ao coronavírus, o governo estadual manteve as atuais medidas restritivas da fase vermelha que estão em vigor desde o último dia 6 de março. Doria anunciou as próximas etapas da campanha de vacinação contra a Covid-19 em todo o Estado.

Leia mais  Suspensão de Cury por assédio sobe para 180 dias

A partir do dia 22, serão vacinados idosos entre 72 e 74 anos. Atualmente, o Estado ainda vacina idosos com 77 anos ou mais, mas o governo estadual já anunciou nesta semana que pessoas com 76 e 75 anos começarão a ser vacinadas na próxima segunda-feira (15).

Novos leitos

O governo estadual também anunciou nesta quarta a implantação de mais 338 leitos no decorrer de março para atender casos graves de Covid-19 em diferentes regiões do Estado. O objetivo é garantir atendimento aos pacientes graves e fortalecer a rede para enfrentar a elevação das taxas de ocupação no SUS de São Paulo.

“Este é o terceiro anúncio de abertura de novos leitos que fazemos em menos de duas semanas. Percebam a gravidade e a evolução rápida do vírus em São Paulo e em todo o Brasil. Em duas semanas, São Paulo anunciou 1.118 novos leitos hospitalares, sendo 676 leitos de UTI. Todos estarão operando neste mês de março”, disse Doria.

O número contabiliza 171 leitos de enfermaria e 167 de Terapia Intensiva em hospitais estaduais, municipais e vinculados ao SUS, como Santas Casas e serviços filantrópicos.

Leia mais  Defesa apresenta o novo comando das FA

Outros 500 novos leitos também foram anunciados no dia 3 de março, incluindo 339 de UTI e 161 clínicos, também com ativação neste mês. O governo ainda ativará 11 hospitais de campanha que totalizarão mais 280 leitos – 140 de cada tipo.

Com todas essas medidas, serão 1.118 leitos novos no SUS de SP. A ampliação anunciada hoje ocorrerá em hospitais da Grande São Paulo, Bauru, Marília, Vale do Paraíba e Litoral Norte, Araraquara, Campinas, Ribeirão Preto e São José do Rio Preto. Sorocaba terá mais 10 novos leitos no hospital estadual Regional Adib Jatene.

Antes da epidemia, São Paulo contava com 3,5 mil leitos de UTI e, até abril, terá 9,2 mil leitos UTI SUS, quase o triplo a mais.

As expansões da rede são resultado do mapeamento e análise técnica das capacidades estruturais de cada hospital, aliado ao monitoramento do cenário da COVID-19, visando salvar vidas e assegurar atendimento igualitário à população. (Da Redação)

Comentários