Brasil

Governo de SP autoriza imediata distribuição da vacina para todos os Estados

Doria disse que o plano logístico das vacinas que cabem ao Estado começa nesta segunda (18)
Doria afirma também que neste domingo começam a ser vacinados médicos e enfermeiros do Hospital das Clínicas. Crédito da foto: Divulgação.

O governador do Estado de São Paulo, João Dória Jr. (PSDB) afirmou durante coletiva de imprensa neste domingo (17), que autorizou a imediata distribuição da vacina para todos os Estados via Ministério da Saúde. Doria disse ainda que o plano logístico das vacinas que cabem ao Estado começa nesta segunda (18).

Ele disse ainda que vai observar se o Ministério da Saúde cumprirá a proporcionalidade da população brasileira na distribuição das vacinas aos Estados. “Os caminhões estão sendo carregados e vão para o depósito do Ministério da Saúde no Aeroporto de Guarulhos”, informou Doria.

Doria afirma também que neste domingo começam a ser vacinados médicos e enfermeiros do Hospital das Clínicas. Espero que amanhã outros possam receber pelo Ministério da Saúde com o apoio dos governadores”, disse Doria, em pronunciamento realizado no Hospital das Clínicas, em São Paulo.

De acordo com Doria, profissionais de saúde de São Paulo já estão sendo vacinados no Hospital das Clínicas da USP e que já nesta segunda (18), começa o plano logístico das vacinas que cabem ao Estado. “A vacinação deve começar imediatamente. Cada dia conta, cada vida também”, afirmou o governador. Segundo ele, na sequência, profissionais de saúde de Ribeirão Preto e Campinas também receberão a Coronavac.

O governador chamou a vacinação de uma vitória da democracia e dedicou o avanço às mais de 209 mil vítimas do coronavírus no Brasil e aos mais de 8,4 milhões de pessoas que se infectaram com a doença.
“Hoje é o dia V. É o dia da vacina, é o dia da verdade, é o dia da vitória, é o dia da vida.” Com essa frase o governador de São Paulo, João Doria, iniciou entrevista coletiva neste domingo, 17, sobre a aprovação do uso emergencial de vacinas no Brasil, entre elas a Coronavac, produzida pelo Instituto Butantã com a chinesa Sinovac.

Leia mais  País encara pandemia em seu pior momento

‘Triunfo da vida’

“É o triunfo da vida contra os negacionistas, contra aqueles que preferem o cheiro da morte, ao invés do valor e da alegria da vida”, disse Doria, ao lado da enfermeira Mônica Calazans, do Hospital Emílio Ribas, a primeira pessoa no Brasil a receber uma dose da Coronavac. “A vacina vai ajudar a evitar cenas dramáticas e trafgicas como o Brasil e o mundo viram em Manus. Cenas que chocaram a opinião pública mundial”, disse o governador.

Doria aproveitou o momento para criticar o presidente Jair Bolsonaro, seu adversário político, com quem vem travando discordâncias desde o início da pandemia. “E daí?, disse um brasileiro. Pressa para quê, disse outro brasileirro. Toma cloroquina que passa, disse um líder do País. A vacina é uma lição para vocês, autoritários que desprezam a vida, que não têm compaixão, que desprezam a atenção, a dedicação e a necessidade de proteger abrasileiros. Você não fizeram isso”, disse mencionando falas de Bolsonaro e do ministro da Saúde, Eduardo Pazuello.

Leia mais  Covid: Idosos a partir de 83 anos são vacinados em três endereços em Sorocaba

Doria elogiou o corpo técnico da Anvisa , dizendo que eles cumpriram seus deveres e obrigações e mostraram a autonomia de um órgão regulador. “Resistiram às pressões. A ciência falou mais auto do que o autoritarismo.”

“Hoje é um dia de esperança, de renascimento, de buscar mais forças para prosseguimos. A chegada da vacina não nos livra do uso da máscara, da necessidade do isolamento social e da necessidade de não aglomerar”, continuou.

O governador também criticou o chamado “tratamento precoce” defendido por Bolsonaro e por Pazuello, que não tem nenhuma eficácia, de acordo com a ciência, contra a covid-19. “Espero que o comportamento do ministério da saúde seja pela vida e que parem de recomendar e distribuir a cloroquina”, disse. (Estadão Conteúdo)

Comentários