Brasil Covid-19

Governo aponta perigo de falta de oxigênio em cidades menores

Governo aponta perigo de falta de oxigênio em cidades menores
Cilindros de oxigênio. Crédito da foto: Pedro Guerreiro/Fotos Públicas

O diretor de Logística do Ministério da Saúde, general Ridauto Fernandes, classificou ontem como perigoso o cenário de abastecimento de oxigênio medicinal no País. Em audiência pública na Comissão Temporária da Covid-19 do Senado, ele pediu apoio dos parlamentares para que o Congresso e o Ministério da Saúde se empenhem em uma mudança legislativa com urgência, para que as grandes empresas não se recusem a abastecer carretas de envasadores que atendem principalmente cidades do interior.

“O cenário atual é perigoso, podendo levar ao desabastecimento de oxigênio medicinal na ponta, especialmente em pequenos hospitais e municípios do interior”, alertou acrescentando que a expectativa da falta perigosa desse produto na ponta da linha, nos pequenos hospitais, é de poucos dias.

Representantes de empresas de produção e distribuição do gás do país também participaram da audiência e responsabilizaram a falta de planejamento das secretarias de Saúde quanto à demanda do produto pela fabricação do material menor que a necessidade. Para otimizar o abastecimento, o presidente da Associação Brasileira de Indústria Química (Abiquim), Ciro Marino, cobrou que o Ministério da Saúde centralize essa logística, para que o setor produtivo se concentre apenas na produção. (Agência Brasil)

Comentários