Brasil

Farmacêuticas são multadas em R$ 15,2 milhões

Farmacêuticas são multadas em R$ 15,2 milhões
Medicamentos usados na intubação estão caros e em falta. Crédito da foto: Martin Bernetti / AFP (25/3/2021)

A Câmara de Regulação do Mercado de Medicamentos (CMED) multou empresas do setor farmacêutico em R$ 15,2 milhões por aumentarem o valor de produtos utilizados no tratamento de pacientes da Covid-19 acima do autorizado no País. De acordo com a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), que exerce a secretaria executiva do comitê, 139 processos de sanção e 64 multas de sobrepreço foram aplicados de julho de 2020 a março deste ano.

Ao todo, 73 ofícios foram enviados a fabricantes de medicamentos usados na intubação de pacientes. O País enfrenta escassez de medicamentos para esse tipo de procedimento, com relatos de estoques baixos, insuficientes, e sobrepreço.

Em 30 de março, o secretário de Atenção Especializada à Saúde do Ministério da Saúde, coronel Luiz Otávio Franco Duarte, afirmou em audiência pública que todos os Estados e o Distrito Federal estão com “estoque crítico”. Em São Paulo, algumas cidades deixaram de usar todos os leitos por falta de remédios.

Leia mais  Professor se fantasia de morte em barreira

Segundo a Anvisa, a câmara realiza monitoramento e fiscalização de preços desde julho, por meio de uma força-tarefa criada durante a pandemia. “De lá para cá, o grupo tem atuado para coibir a comercialização de medicamentos com preços superiores aos autorizados”, disse a agência em comunicado. Nessa missão, foram consultadas secretarias estaduais e municipais, a Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) e entidades e associações do setor.

Em nota, o Sindusfarma comentou a decisão afirmando que “é o que se espera da CMED, que fiscalize o mercado, instaure os devidos processos legais e ouça todas as partes envolvidas, com amplo direito de defesa, para que os fatos sejam esclarecidos e as providências previstas em lei sejam adotadas”. (Estadão Conteúdo)

Comentários