Brasil Covid-19

Covid: Doria vê quadro ‘gravíssimo’ e prevê novas medidas em SP

Atualização será anunciada em coletiva de imprensa nesta quarta-feira após reunião do Centro de Contingência
Governador João Doria (PSDB) durante coletiva na entrega de vacinas do Butantan para o PNI. Crédito da Foto: Divulgação / Governo de SP (17/03/2021)

O governador João Doria (PSDB) afirmou que poderá anunciar novas medidas nesta quarta-feira (17) para combater a pandemia de Covid-19 em São Paulo. Desde segunda-feira (15), o Estado já está na fase emergencial, com restrições inclusive para serviços considerados essenciais.

“Estamos diante de um quadro gravíssimo em São Paulo e no Brasil. E São Paulo adotará novas medidas a partir da decisão do Centro de Contingência”, disse o governador durante a coletiva de imprensa em São Paulo. A declaração foi dada durante a entrega de 2 milhões de doses da vacina CoronaVac, produzida pelo Instituto Butantan contra o coronavírus, ao Programa Nacional de Imunizações (PNI), do Ministério da Saúde.

O governador  irá aguardar a reunião do Centro de Contingência realizada durante a manhã, com previsão de encerramento às 11h. Todas as informações e as medidas adicionais serão divulgadas durante coletiva de imprensa às 12h45 no Palácio dos Bandeirantes, em São Paulo. “Não nos pautamos por qualquer tipo de pressão, nem política, da imprensa ou da economia, nenhum seguimento. Mas sim a orientação da saúde”.

Leia mais  Sorocaba registra mais 391 casos confirmados da Covid-19

Nesta terça-feira (17), o número de mortes decorrentes da Covid-19 no Brasil chegou a 2.798, novo recorde da pandemia, segundo dados reunidos pelo consórcio de veículos de imprensa. A quantidade equivale a 116 óbitos a cada hora no País, que atravessa o pior momento desde o início da pandemia. No total, já são 282.400 vítimas do novo coronavírus.

Durante a coletiva, o governador também cobrou o governo federal sobre a quantidade de imunizantes no país. “O Brasil precisa de mais vacinas em larga escala e eu espero que o novo ministro da Saúde compreenda isso. Sem vacinas, continuaremos com fases restritivas em todo o país”, declarou. (Jomar Bellini)

Comentários