Brasil Covid-19

Com registro de 2.724 mortes, pandemia tem 2º dia mais letal

Com registro de 2.724 mortes, pandemia tem 2º dia mais letal
Marcelo Queiroga diz que, em sua gestão, seguirá a ciência. Crédito da foto: Evaristo Sá / AFP

A quantidade de pessoas que não resistiram à Covid-19 subiu para 287.499. Em 24 horas, foram registradas 2.724 mortes. Foi o 2º dia com mais óbitos, atrás apenas do recorde de terça-feira (16), quando foram acrescidas às estatísticas 2.841 vidas perdidas. O número de casos confirmados desde o início da pandemia chegou a 11.780.820. As informações estão no balanço diário do Ministério da Saúde, divulgado na noite de ontem. Também ontem, mais cedo, o indicado ao cargo de ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, afirmou que buscará seguir as recomendações da ciência para o combate à pandemia.

O total de casos confirmados em um dia foi o 3º mais alto desde o início da pandemia, com 86.982. O resultado ficou atrás apenas do recorde de ontem (90.303) e do dia 7 de janeiro (87.843). Ontem, o total de pessoas infectadas até o momento estava em 11.693.838.

Queiroga também indicou que trabalhará para um “grande diálogo nacional” com Estados, municípios e a sociedade civil, falou em “política de distanciamento social inteligente”. “O presidente já me determinou que tomasse medidas, sobretudo, num diálogo amplo com secretários de saúde, secretários estaduais e municipais, e com a sociedade civil de uma maneira global”, disse. Sobre os números recordes da pandemia, o médico afirmou que é preciso “criar as condições para melhorar a assistência hospitalar”. Ele foi escolhido pelo presidente para substituir o atual ministro da Saúde, o general Eduardo Pazuello, mas sua nomeação ainda não foi formalizada no Diário Oficial da União (DOU). (Agência Brasil e Estadão Conteúdo)

Comentários