Brasil Covid-19

‘Cloroquina não evita a doença’, diz Ministério da Saúde

Medicamento pode ser tóxico em médio e longo prazo
O secretário nacional de Vigilância em Saúde disse que o uso da cloroquina pela população pode ter efeitos nocivos sobre a saúde.  Crédito da foto: Marcello Casal Jr/Agência Brasil

 

O Ministério da Saúde fez um alerta nesta sexta-feira (27) sobre o uso do medicamento cloroquina no combate ao novo coronavírus. O remédio sumiu de muitas farmácias desde que o presidente Jair Bolsonaro passou a divulgar informações de que o País estaria no caminho de encontrar uma medicação de combate ao vírus.

O secretário nacional de Vigilância em Saúde, Wanderson de Oliveira, disse que o uso da cloroquina pela população pode, na realidade, ter efeitos nocivos sobre a saúde. “A cloroquina é um medicamento indicado em condições específicas, mas ele tem contraindicações. Pode ser tóxico em médio e longo prazo”, afirmou à imprensa ontem.

“A cloroquina não é um medicamento para evitar a doença. Os estudos ainda estão sendo realizados. Estão seguindo um rito muito mais acelerado que o tradicional”, disse o secretário.

A medicação, que é usada no combate à malária, vai ser produzida em larga escala e distribuída em hospitais de todo o País para ser testada em pacientes em situação grave. O Ministério da Saúde informou que serão liberadas 3,4 milhões para hospitais. Hoje, há 148 pessoas na UTI, em estado grave, com a Covid-19.

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo. (Estadão Conteúdo)

Leia mais  Brasil tem 92 mortes por novo coronavírus, segundo Ministério da Saúde
Comentários