Brasil Covid-19

Cidades tentam comprar vacina sem garantias

Cidades tentam comprar vacina sem garantias
Crédito da foto: Agência Brasil

Prefeituras de mais de 200 cidades do País passaram a negociar a compra de vacinas com uma empresa búlgara, mesmo ante a incerteza de que vão receber as doses. A TMT Globalpharma, que diz atuar como intermediadora dos produtores, promete entregar milhões de unidades da Sputnik V e do produto de Oxford/Astrazeneca nos próximos meses.

As próprias fabricantes, no entanto, desacreditam o negócio. A Astrazeneca afirmou ao Estadão que já comprometeu todas as suas doses em vendas a governos nacionais e ao consórcio internacional Covax Facility. Já o Fundo Russo de Investimento Direto (RDIF), que negocia a Sputnik V, declarou que a companhia búlgara “NÃO” tem – assim, em letras maiúsculas – autorização para esta venda.

A representante da vacina russa no País é a União Química, que não se manifestou sobre a negociação por outra empresa. Apesar da falta de aval das fabricantes, representantes de municípios de várias regiões do País têm assinado cartas de intenção de compra das doses e comemorado o acordo nos sites oficiais das prefeituras e nas redes sociais.

Leia mais  Anvisa concede certificados às farmacêuticas da Janssem e Sputnik V

O pagamento, segundo eles, só deve ocorrer após receber o produto, motivo pelo qual descartam se tratar de um golpe. Questionada sobre como as doses serão obtidas, a empresa afirmou que não pode detalhar os acordos, pois ainda não há contratos fechados com o Brasil. (Mateus Vargas – Estadão Conteúdo)

Comentários