Brasil Covid-19

Cepa de Manaus já é 64% dos casos na cidade de São Paulo

Cepa de Manaus já é 64% dos casos na cidade de São Paulo
Familiar grava sepultamento noturno em seu celular, no cemitério da Vila Formosa, em São Paulo. Crédito da foto: Ettore Chiereguini / Agif / Estadão Conteúdo

A Prefeitura de São Paulo divulgou na manhã de ontem (26) que um levantamento feito em parceria com a Universidade de São Paulo (USP) apontou que 64,4% dos casos de Covid-19 em residentes na cidade são da cepa P1, primeiramente identificada em Manaus e associada à uma maior transmissibilidade e agravamento da doença. Com o resultado, o protocolo de atendimento mudou e, agora, a gestão Bruno Covas (PSDB) indica que o paciente procure atendimento em Unidades Básicas de Saúde (UBSs) ao notar os primeiros sintomas.

O objetivo da mudança de protocolo é evitar que esses casos se agravem, necessitando de internação. Ao todo, a análise foi feita com 92 amostras de exames RT-PCR colhidas na primeira semana de março, das quais foram selecionadas 73 de residentes na cidade.

O estudo mostrou que 64,4% dos casos de residentes são da cepa de Manaus, 6,8% da identificada primeiramente no Reino Unido (B 1.1.7) e 28,8% de 21 outras linhagens distintas não consideradas VOC (“variant of concern”, “variante de preocupação” em inglês).

Leia mais  Vacinação contra a gripe em SP começa na segunda-feira

O monitoramento mostrou que as variantes brasileira e britânica estão em todas as regiões da cidade. “É muito claro que já está em toda a cidade”, destacou o secretário municipal da Saúde, Edson Aparecido. A capa P.1 foi identificada pela primeira vez na capital paulista em 22 de fevereiro.

Sepultamentos noturnos

Quatro cemitérios públicos da cidade de São Paulo passaram a realizar sepultamentos até as 22h, desde a noite de quinta-feira (25). A decisão da Prefeitura visa a “otimizar o serviço de sepultamento diário, a fim de amenizar o sofrimento dos familiares e garantir dignidade no momento do sepultamento”, explicou a gestão do prefeito Bruno Covas (PSDB).

Os sepultamentos noturnos são realizados nas unidades da Vila Formosa, na zona leste, São Luiz, na zona sul, Vila Nova Cachoeirinha, na zona norte, e São Pedro, zona leste. Outros 18 cemitérios públicos seguem realizando sepultamento até as 18h. O Estado tem registrado média de 475 óbitos diários em decorrência da Covid-19, 150 dos quais na cidade de São Paulo. (Estadão Conteúdo)

Comentários