Brasil

CEF anuncia crédito para santas casas e hospitais filantrópicos

CEF anuncia crédito para santas casas e hospitais filantrópicos
O presidente da República, Jair Bolsonaro, e o presidente da Caixa, Pedro Guimarães. Crédito da foto: Fabio Rodrigues Pozzebom / Agência Brasil

A Caixa anunciou uma linha de crédito de R$ 3 bilhões para empréstimos às santas casas e hospitais filantrópicos. Os financiamentos terão condições diferenciadas, com juros mais baixos e carência no pagamento das parcelas.

As medidas já haviam sido divulgadas na semana passada, mas ontem (25) o presidente da República, Jair Bolsonaro, promoveu uma cerimônia no Palácio do Planalto para divulgar a iniciativa. O evento contou com a presença de ministros e do presidente da Caixa, Pedro Guimarães.

A nova linha de crédito terá juros 42% menores do que o praticado anteriormente. A taxa é a partir de 0,29% ao mês mais o CDI. O custo total ficará em torno de 6,3% ao ano. O prazo será de até 120 meses (maior que nos contratos atuais, que financiam em até 84 meses), com carência de seis meses até o início das cobranças.

Leia mais  Vacinação contra a gripe deve atingir 80 milhões de pessoas

Segundo Guimarães, a mudança nas condições é fundamental para reduzir os juros às santas casas e vai permitir à Caixa elevar o volume dos empréstimos às instituições. Hoje, o banco tem em sua carteira R$ 3,4 bilhões emprestados a 286 Santas Casas. “Queremos emprestar a pelo menos 1.000 santas casas a mais”, disse o presidente da Caixa.

Para as instituições que já têm empréstimos junto ao banco, a Caixa vai fazer uma pausa na cobrança das parcelas, por um período de 180 dias. Nesse intervalo, não será necessário pagar nem juros, nem o principal do débito.

Guimarães disse que a proposta de uma nova linha de crédito para as santas casas partiu de uma conversa com Bolsonaro. Mas ele ressaltou que a decisão foi “matemática”. “A Caixa vai ganhar dinheiro com essa linha”, disse. “Neste governo, a Caixa nunca ganhou tanto dinheiro, nem reduziu tanto os juros”, acrescentou. (Idiana Tomazelli – Estadão Conteúdo)

Comentários