Brasil Covid-19

Bolsonaro comemora suspensão dos ensaios da CoronaVac

Os pesquisadores afirmam que se trata de uma morte que não tem relação com a vacina
Bolsonaro volta a falar que quer prorrogar auxílio
Jair Bolsonaro comemora a “derrota” de Dória. Crédito da foto: Carolina Antunes / PR (6/8/2020)

O presidente Jair Bolsonaro comemorou a suspensão dos ensaios clínicos da vacina chinesa CoronaVac no país nesta terça-feira (10), depois que um voluntário sofreu “um incidente grave”.

“Mais uma que Jair Bolsonaro ganha”, declarou o presidente no Facebook junto com um link sobre a suspensão, em resposta a um internauta que perguntava se o governo compraria e produziria a vacina caso os ensaios – atualmente na fase 3 – mostrem que é eficaz e segura.

Na segunda-feira à noite, a Agência de Vigilância Sanitária (Anvisa) anunciou que “decidiu interromper o ensaio clínico da vacina do laboratório da Sinovac após um incidente grave” em 29 de outubro.

A Anvisa não detalhou o ocorrido.

O diretor do Instituto Butantan – órgão público que coordena os testes -, Dimas Covas, afirmou que se trata de um “óbito não relacionado à vacina” e pediu explicações à Anvisa, cuja decisão lhe causou surpresa.

Leia mais  Anvisa concede registro definitivo à vacina da Pfizer contra Covid-19

A CoronaVac tem sido o centro de uma batalha política no Brasil. Entre um de seus maiores defensores, o governador de São Paulo João Dória, e seu principal rival político, o presidente Bolsonaro.

“Esta é a vacina que o Dória queria obrigar todos os paulistas a tomá-la”, acrescentou o presidente em sua resposta ao internauta.

Bolsonaro, que subestimou a gravidade da pandemia e criticou as medidas de quarentena impostas em vários estados, referiu-se ao modelo da Sinovac como a vacina “desse outro país”. No mês passado, cancelou um acordo de compra de 46 milhões de doses anunciado por seu próprio ministro da Saúde. (AFP)

Comentários