Brasil

Aliados de Bolsonaro falam em ‘guerra’ e em ‘reagir’

Repercussão do atentado entre os apoiadores
Bolsonaro sofreu ataque em Minas Gerais. Crédito da foto: Arquivo/ AFP / Mauro Pimentel.

 

O presidente nacional do PSL, Gustavo Bebianno, disse à reportagem que “Agora é GUERRA!!!”, ao ser questionado sobre o ataque ao presidenciável Jair Bolsonaro. Bebianno é o braço direito de Bolsonaro e tem acompanhado todas as agendas do candidato. Um dos principais aliados do candidato do PSL, o senador Magno Malta (PR-ES) disse em vídeo nas redes sociais que adversários querem parar o presidenciável e que é preciso ganhar a eleição no primeiro turno.

“Nós precisamos reagir, ganhar essa eleição no primeiro turno, porque querem pará-lo de todo jeito. Nós vamos reagir”, afirmou Malta na gravação. O senador esteve cotado para a vaga de vice na chapa. “O Brasil precisa reagir. Essa canalhada se juntou para parar Bolsonaro de todo jeito. Estão juntos para parar por quê? Porque eles querem continuar como está: a violência, roubar dinheiro público”, disse ele. Malta encerrou o vídeo pedindo orações “para Deus preservar a vida” de Bolsonaro.  (Folhapress)

 

Leia mais  Imprensa internacional dá destaque a ataque a Bolsonaro
Leia mais  Suspeito de ataque a Bolsonaro foi filiado ao PSOL entre 2007 e 2014
Leia mais  Após facada, Bolsonaro passa por cirurgia em Juiz de Fora (MG)
Comentários