Agenda Metropolitana

Semana Cornélio Pires tem filmes e orquestra caipiras

Realizado em Tietê há 60 anos em homenagem ao grande artista, evento reúne espetáculos gratuitos para agradar a todos os gostos
Show homenageia Cornélio Pires (de paletó, em foto de 1929), primeiro a gravar moda de viola
Semana homenageia Cornélio Pires (de paletó, em foto de 1929), primeiro a gravar moda de viola. Crédito da foto: Reprodução/Internet

 

Tietê, na Região Metropolitana de Sorocaba (RMS), proporciona cinco dias de espetáculos caipiras gratuitos. As atrações fazem parte da 60ª Semana Cornélio Pires e incluem desde shows musicais e peças de teatro até exibição de filmes. Afinal, o evento homenageia um dos maiores jornalistas, escritores, folcloristas e ativistas culturais brasileiros.

A programação desenvolvida pela Secretaria Municipal de Cultura teve início no sábado (17) e prossegue até o próximo domingo (25). O coral Vozes Caipiras abriu as comemorações no último fim de semana com um concerto na Escola Plínio Rodrigues. O show apresentado pelo grupo paulista Theatron, com texto de Carlos ABC e direção musical de Vinícius Novaes, retratou a cultura caipira.

Leia mais  Tietê mantém tradição da ‘Paixão de Cristo’ a céu aberto

 

Outra atração do primeiro fim de semana da festa foi a tradicional Cavalgada Cornélio Pires. Assim como em anos anteriores, reuniu centenas de cavaleiros e montarias no domingo (18). O encontro aconteceu no Centro de Exposição e Lazer de Tietê (Fait). A realização foi do Centro de Tradição Tropeira de Tietê.

‘Filmes caipiras’

Dois filmes com temáticas relacionadas ao universo caipira estão entre as atrações desta segunda semana da festa em homenagem a Cornélio Pires. Primeiramente, nesta quinta-feira (22), o público poderá conferir, de graça, o longa “A Marvada Carne”. De acordo com a programação, a exibição será na Escola Técnica Dr. Nelson Alves Vianna. A unidade fica na rua Manira Jacob Biscaro, 45, no Jardim Baccili.

“A Marvada Carne”, de 1985, dirigido por André Klotzel, é estrelado por Fernanda TorresAdilson Barros e Regina Casé. Ficou famoso. Afinal, ganhou onze prêmios no Festival de Gramado, no mesmo ano em que foi lançado, incluindo Melhor Filme pelo Júri Oficial e pelo Júri Popular. 

O filme é uma comédia que mostra as hilariantes aventuras de Carula (Fernanda Torres). Embora seja uma garota simples, do interior, tem um grande sonho na vida: casar-se. E para isso ela está disposta a tudo.

Na sexta-feira (23), será a vez do filme “Sertão em Festa” ser exibido na Escola Estadual Plínio Rodrigues de Morais. O estabelecimento fica na rua do Comércio, 539, no centro de Tietê.

“Sertão em Festa” foi produzido em 1970, com direção de Oswaldo de Oliveira e  a participação da dupla Tião Carreiro e Pardinho. O elenco ainda conta com SimplícioSaracuraNhá BarbinaFrancisco Di FrancoMarlene CostaClenira Michel e do Duo Glacial.

A obra conta, em suma, a história de agricultor que descobre petróleo em suas terras. Depois de enriquecer, ele vai morar com a família em uma mansão da capital. Porém, logo descobre que a felicidade estava na vida simples do interior.

Orquestra de Viola e teatro

A programação de sexta-feira (23) tem mais três espetáculos. Antes de tudo, às 16h, a administração municipal prestará homenagem a personalidades incentivadores da cultura caipira. A solenidade será no Salão Nobre da Prefeitura.

Para as 19h30, no palco da avenida Beira Rio, está prevista mais uma atração com a proposta de resgatar a cultura caipira. O evento contará com apresentação da Orquestra de Viola de Pardinho, seguida de show com com o cantor Cristiano Guerreiro.

Um espetáculo teatral fecha a agenda de sexta-feira (23). No bairro da Cohab, às 20h, a Cia. de Teatro Ambulante apresenta uma peça que resume a história do tieteense Cornélio Pires.

No sábado (24), às 10h, na Praça Dr. Elias Garcia, haverá o lançamento do livro “Capítulo 129” do Tenente Paes, com a apresentação da Banda Oficial de Tietê.

Raizeiros cantam no sábado

A 60ª Semana Cornélio Pires prossegue no sábado (24) com mais três espetáculos. Às 18h30, no palco da avenida Beira Rio, a Secretaria de Cultura promove a cerimônia de premiação do concurso Conte um Conto. Os vencedores receberão o Troféu Benedito Pedro Silvestrin (Fuzilo).

No mesmo local, às 21h, acontecerá a apresentação de Nasar com o show Raizeiros.

Ainda no sábado, às 19h30, no Bairro Sete Fogões às 19h30, a Cia de Teatro Ambulante reapresenta a peça sobre a vida de Cornélio Pires.

Programação da 60ª Semana Cornélio Pires, em Tietê
Programação da 60ª Semana Cornélio Pires, em Tietê. Crédito da foto: Divulgação / Prefeitura de Tietê

 

Comida caipira também é show

Além das apresentações artísticas, a Semana Cornélio Pires homenageia o modo de vida caipira com outro item cultural importante: a cozinha. Assim, a avenida Beira Rio se transforma em praça de alimentação todos os dias com espetáculos no palco local. As estrelas dessa parte da festa são as mil e uma receitas doces e salgadas, quentes e geladas nascidas da criatividade interiorana.

O encerramento da festa, no domingo (25), será no Bairro São Pedro. A Cia de Teatro Ambulante se apresenta em frente ao Centro de Referência em Assistência Social (Cras), a partir das 19h.

Poeta, escritor, contador de casos, conferencista e humorista, Cornélio Pires foi uma espécie de showman da cultura caipira
Poeta, escritor, contador de casos, conferencista e humorista, Cornélio Pires foi o showman da cultura caipira. Crédito da Foto: Reprodução/Internet

 

Cornélio, o grande caipira

Cornélio Pires nasceu no dia 13 de julho de 1884, em Tietê, na região de Sorocaba. Morreu na capital de São Paulo, em 17 de novembro de 1958.

Muito cedo, de 14 para 15 anos de idade, Cornélio deixou a tranquilidade do lar e partiu para ganhar a vida na metrópole paulista. Primeiro, trabalhou como freelancer e aprendiz de tipógrafo. Em seguida, pendeu para as letras, destacando-se como jornalista, poeta, contista e folclorista.

Publicou 23 livros, o primeiro em 1910. Além disso, criou uma companhia de teatro e realizou quatro filmes sobre o cotidiano caipira, que tão bem entendia.

Também em 1910, o tieteense apresentou no Colégio Mackenzie, hoje Universidade Presbiteriana Mackenzie, em São Paulo, um genuíno espetáculo caipira. Reuniu, sobretudo, catireiros, cururueiros, e duplas de cantadores do interior.

Em 1929, pelo selo Columbia, realizou o seu maior grande sonho. Gravou em disco as diversas manifestações culturais e artísticas do povo, a fim de torná-las conhecidas.

Por fim, Cornélio Pires foi o primeiro artista a gravar de forma independente no país. Sobretudo, porque, teve de bancar, ele próprio, a sua famosa série de discos.

Mistura de poeta, escritor, contador de casos, conferencista e humorista, Cornélio Pires foi, ao mesmo tempo, o showman da cultura caipira.

 

Comentários

CLASSICRUZEIRO