Agenda Metropolitana

Encontro de Canoas repete tradição de 179 anos em Tietê

Encenação no leito do maior rio paulista faz parte das comemorações ao Divino Espírito Santo, atraindo cada vez mais turistas
Encontro de Canoas
Evento mais antigo da região reúne seis canoas e um batelão nas águas do Rio Tietê (DIVULGAÇÃO)

Marinaldo Cruz

Cultura, história e religiosidade. Estes três ingredientes estão reunidos no tradicional Encontro de Canoas que se repete neste sábado (29), no município de Tietê. Realizada há 179 anos, nas águas do rio paulista mais famoso – cujo nome foi adotado pela cidade –, sempre no último sábado do ano, a celebração se mantém como manifestação popular mais antiga da Região Metropolitana de Sorocaba. O evento mescla demonstrações de pura devoção cristã com aparatos de som e imagem, resultando em um espetáculo que conquista um número maior de turistas a cada edição. Em 2017, por exemplo, os organizadores da festa estimaram a presença de 5 mil pessoas às margens do rio e nos demais locais onde cerimônia se desenrola.

Folclore e religiosidade

A encenação faz parte da Festa do Divino, uma das principais manifestações folclórico-religiosas do interior paulista. Às 17h30, aproximadamente, dois grupos, cada um com 60 festeiros vestindo calças e camisas brancas, cintos vermelhos e gorros azuis, saem em procissão da Igreja Matriz da Santíssima Trindade, na Praça Dr. Elias Garcia, no centro da cidade, empunhando bandeiras e remos. O prestito segue na direção do rio, pelas ruas apinhadas de devotos e visitantes.

Leia mais  Coral da USP cantando Beatles é uma das atrações do aniversário de Ibiúna

Cada grupo embarca em seis barcos e um batelão, rumando para diferentes direções, simulando a movimentação dos antigos moradores da cidade no período em que o rio constituía a única via de acesso ao lugar. Impelido pela força dos remos, um grupo sobe o rio enquanto o outro desce. Por volta das 18h, ambos dão meia-volta, para convergirem nas proximidades da Ponte dos Arcos.

Neste momento, tiros de trabuco, disparados das margens por atiradores especializados, anunciam o encontro. Em seguida, acontece a soltura de pombas e a queima de fogos. Os estampidos são tão fortes que acabam disparando alarmes de carros estacionados nas proximidades e também de casas das vizinhanças. Por conta disso, todos os anos, as autoridades do município pedem a compreensão dos moradores e dos visitantes, para que o inconveniente não acabe por interromper o curso da história.

Leia mais  Mulher é contida pela PM após quebrar esfirraria de companheiro em Tietê

Após o encontro é celebrada missa campal na Praça do Divino, presidida neste ano pelo padre Evandro Luiz Zanardo Paulim. A programação tem sequência com a procissão que segue até a Igreja Matriz de Nossa Senhora Aparecida, no Bairro Paraíso. A Bandeira e o Andor do Divino Espírito Santo ficam expostos neste local.
Ainda neste sábado, a partir das 19h30, no salão de festas da Matriz de Nossa Senhora Aparecida acontecem uma quermesse e o leilão de prendas.

Encontro de Canoas em Tietê
Eventro faz parte das comemorações da Festa do Divino Espírito Santo (DIVULGAÇÃO)

Fé derrota a febre amarela

A Festa do Divino de Tietê teve início durante uma epidemia de febre amarela que matou muitas pessoas. Religiosos rogaram ao Divino Espírito Santo, para que cesse a doença. Em troca, eles prometeram relembrar o milagre todos os anos com uma festa dedicada à Terceira Pessoa da Santíssima Trindade. A fé da população venceu e a promessa continua sendo cumprida. Conta-se que os tieteenses deixaram de realizar as comemorações durante alguns anos, fazendo com que a febre voltasse. Porém, a festa foi retomada e a ameaça desapareceu.

Leia mais  Turma da Disney e Banda Jair Supercap se apresentam em Sarapuí

O encontro das canoas é um dos eventos das comemorações, acontecendo no último sábado do ano como uma alusão ao fato de que na época a cidade ficou em quarentena e o único meio de transporte era o rio Tietê.

SERVIÇO – Mais informações podem ser obtidas pelo telefone (15) 3285-8755 e no site da Prefeitura Municipal de Tietê.

Comentários