Mix Tecnologia

Xiaomi ou iPhone: qual dos dois smartphones é melhor?

Disputa entre marca norte-americana e chinesa tem esquentado debate sobre os melhores smartphones

Uma disputa entre duas marcas de smartphones, a chinesa Xiaomi e o norte-americano iPhone, da Apple, se tornou também um dilema para a escolha de consumidores. Ainda que não estejam na lista dos celulares baratos encontrados no varejo, especialistas indicam que a briga entre os dois no futuro próximo será tanto com relação ao preço quanto sobre o que oferecem aos usuários.

A Apple e a Xiaomi lançaram aparelhos novos recentemente, aumentando a competitividade e as comparações entre as duas empresas. O iPhone 11, por exemplo, ainda nem esquentou nas prateleiras, enquanto a concorrente chinesa prepara lançamentos para o primeiro semestre de 2020.

Uma das diferenças mais importantes entre os dois está na câmera – e nisso o celular chinês está à frente. O Mi 9, da Xiaomi, por exemplo, possui um estilo que mescla referências do iPhone X e do Galaxy S9, da Samsung, com o formato na traseira. A câmera frontal, estilizada em formato de gota, ocupa pouco espaço. O alcance é de 48 pixels.

Leia mais  Fique de olho: verão é época propícia para a leishmaniose

A câmera do iPhone 11Pro, por sua vez, apresenta acabamento da traseira em um tom fosco, com curvas menos acentuadas. Na frente, a lente mantém o tamanho dos anos anteriores, ocupando uma boa porção da parte superior da tela para um bom número de sensores. A câmera do iPhone possui 12 megapixels – número bem menor do que o do Mi 9.

Mas, se a câmera deixa o produto chinês em vantagem, só o iPhone oferece resistência à água. O iPhone X, anterior ao iPhone 11, por exemplo, pode ficar até 30 minutos submerso, além de também ser resistente à jatos potentes de água. Já o Xiaomi Mi 8, seu concorrente direto, não está dentro do padrão IP67, que define o nível de proteção de aparelhos celulares contra água e poeira.

Leia mais  Coreia do Norte - A Mente do Ditador

Uma vantagem da Xiaomi está na possibilidade utilizar chip duplo, algo não permitido nos aparelhos da Apple por não ser tão comum nos Estados Unidos. Já em outros países como o Brasil, é interessante usar essa opção, já que os preços e promoções das operadoras de telefonia móvel variam bastante.

Ainda que custosas e, por vezes, repetitivas, as atualizações constantes da Apple deixam o iPhone mais seguro em relação aos seus concorrentes. Diversos usuários relatam que um dos maiores problemas do Android em relação ao iOS – sistema utilizado pela Apple – é a falta de suporte que muitos aparelhos têm cada vez que uma nova versão do Android é lançada.

Diante de tudo isso, o consumidor se pergunta: e o preço? O iPhone 11 Pro Max, da Apple, lançado há algumas semanas no Brasil, custa R$ 7.599, 00, na versão com 64 GB. A versão com 512 GB foi disponibilizada pelo site da Apple no valor de R$ 9.555,00. Por sua vez, o Mi 9, último lançamento da Xiaomi, custa R$ 1999,00.

 

Comentários
Assuntos