Turismo

Seguro-viagem não cobre pandemia

Conexão
Taxa de ocupação irrisória faz hotéis e resorts fecharem. Crédito da foto: Divulgação / ABIH

Seguro não cobre – Um dos poucos aspectos referentes a viagens aéreas definidos após a declaração de pandemia de coronavírus diz respeito à cobertura do seguro-viagem. “Pandemia, epidemia ou endemia são riscos excluídos das coberturas em todas as seguradoras”, explica Juçara Serrano, head de Operações da April Brasil Seguro Viagem. Com isso, viajantes que apresentem sintomas de gripe são atendidos até o valor limite contratado para despesas médicas e hospitalares. A situação muda se houver um diagnóstico de Covid-19. “Se confirmado, o tratamento fica sob responsabilidade do governo local e seguindo os protocolos por ele estabelecidos.” De acordo com outra seguradora, a Affinity, tampouco são cobertas pelo seguro despesas por cancelamento ou interrupção de viagem por “receio do vírus ou cancelamento de evento em decorrência do vírus”.

Leia mais  39ª Expoflora ficou para 2021

Sem hospedagem – Com uma taxa média de ocupação abaixo de 10%, hotéis, resorts e parques temáticos também estão suspendendo as atividades por tempo indeterminado. “O setor de turismo reagiu de forma imediata à pandemia do coronavírus”, afirma Fernando Guinato Filho, vice-presidente da Associação Brasileira da Indústria de Hotéis (ABIH). Parques temáticos, como Beto Carrero, também fecharam as portas. O executivo, que também é diretor-geral do Sheraton São Paulo WTC e do WTC Events Center, disse que na cidade de São Paulo, que concentra a maior parte de turismo de negócios, a taxa de ocupação está abaixo de 7%. O hotel Bourbon Convention, que fica no bairro do Ibirapuera, próximo ao aeroporto de Congonhas, na zona sul de São Paulo, o L’Hotel, da região da Avenida Paulista, e o Sheraton, de Santos (litoral paulista), estão entre os que encerraram temporariamente as atividades. Importante destino de viagem de brasileiros e turistas estrangeiros, as redes hoteleiras de Porto Seguro, na Bahia, e Santa Catarina, por exemplo, não estão fazendo mais reservas, diz o presidente da Resorts Brasil.

Leia mais  Pelo Brasil afora, mas de um jeito diferente
Conexão
Peruíbe (foto) e várias cidades turísticas bloqueiam acessos. Crédito da foto: Divulgação / Luiz Pinheiro / Prefeitura de Peruíbe

Cidades interditadas – Quem pensa em aproveitar o período de quarentena para passear, mesmo sem sair do Estado de São Paulo, pode desistir. O governo estadual e muitas prefeituras estão tomando providências para evitar receber turistas e, claro, o novo coronavírus. No último fim de semana, por exemplo, as três principais rodovias de acesso ao litoral norte paulista tiveram bloqueios da Polícia Rodoviária Estadual. Só veículos de emergência, prestadores de serviços essenciais e moradores de cidades da região, como São Sebastião, Ubatuba e Caraguatatuba, foram liberados para seguir viagem. Carros com turistas tiveram de retornar. A previsão é que as blitzes que aconteceram nas rodovias Rio-Santos, Tamoios e Oswaldo Cruz se repitam. No litoral sul, os acessos a Itanhaém, Mongaguá e Peruíbe foram bloqueados com barreiras de concreto. A medida já começa a ser adotada também em cidades no interior, como Itatiba, Itariri, Pedro de Toledo, Miguelópolis e Santo Antonio do Pinhal.

Comentários