Turismo

Itália reabre para o turismo em junho e Brasil prepara mudanças

Itália reabre para o turismo em junho e Brasil prepara mudanças
A partir de junho, europeus poderão viajar pela Itália. Crédito da foto: Vicenzo Pinho / AFP

Itália reabre em junho – O governo da Itália vai reabrir suas fronteiras para turistas da União Europeia (UE) a partir 3 de junho. A informação foi confirmada pelo primeiro-ministro, Giuseppe Conte. Segundo as mesmas fontes, será removido o isolamento obrigatório de 14 dias para visitantes estrangeiros na península. A partir da mesma data, os italianos também poderão viajar livremente por todo o país. Essas decisões poderão ser modificadas com base no “risco epidemiológico” no país, onde mais de 31 mil pessoas morreram vítimas do novo coronavírus.

Rotas cênicas do Ribeira – A Secretaria de Turismo do Estado de São Paulo divulgou na Semana passada o caderno técnico com o projeto de Rotas Cênicas para as estradas do Vale do Ribeira. Anunciada em março pelo governador João Doria, a iniciativa prevê uma série de intervenções em rodovias paulistas para valorizar mais a experiência do viajante — skywalks (passarelas elevadas), paradouros, mirantes e postos de informações. A Secretaria de Logística e Transportes vai incorporar o projeto ao edital de recuperação das estradas do Vale do Ribeira, que devem receber R$ 200 milhões em investimentos.

Leia mais  18ª edição da Festa Italiana de Itu

 

Itália reabre para o turismo em junho e Brasil prepara mudanças
Projeto Rotas Cênicas valoriza cenários do Ribeira. Crédito da foto: Divulgação / Secretaria Estadual do Turismo

Turismo doméstico primeiro – Destinos nacionais deverão ser os mais procurados por turistas brasileiros após o fim de restrições geradas pelo novo coronavírus. É o que mostra uma pesquisa divulgada pela consultoria Cap Amazon e pelo portal Mercado & Eventos, que avaliou as perspectivas de mais de 400 agentes de viagem das cidades de São Paulo, Rio de Janeiro, Porto Alegre e Curitiba. Para 55% dos entrevistados, a retomada do turismo será mais rápida no mercado doméstico. A procura por destinos nacionais também foi apontada como uma tendência, assim como o turismo de saúde e destinos menos frequentados. (Da Redação, com assessorias)

Comentários