Turismo

Dois prazeres em um

Bike turismo é cada vez mais praticado em países estruturados para o ciclismo, como a Alemanha
Dois prazeres em um
Conhecer a Alemanha de bicicleta é programa tradicional para pessoas de todas as idades. Crédito da foto: Divulgação

Viajar é uma boa maneira de abrir a mente e valorizar a diversidade. Pedalar faz parte de um estilo de vida saudável e divertido. Que tal combinar as duas coisas para conhecer lugares novos? Esse é o chamado bike turismo, modalidade que ganha cada vez mais adeptos no mundo inteiro, especialmente na Europa, onde a maioria dos países possui estrutura adequada para a prática do ciclismo.

Quem escolher a Alemanha, certamente terá um passeio bastante prazeroso. O Centro de Turismo Alemão (DZT) desenvolveu cerca de 200 rotas específicas para turistas em conjunto com a Federação Alemã de Ciclismo. São 40 mil quilômetros atravessando todos os recantos do país. Outra ferramenta para facilitar a vida do dos bike turistas é o site do Centro de Turismo Alemão (www.visitealemanha.com), que reúne informações detalhadas sobre roteiros, lugares a serem visitados, mapas, literaturas e pacotes de viagens.

Dispondo dessa estrutura, aventureiros de todas as idades e de todos os níveis — do amador ao profissional — podem explorar mais de 150 cidades, conhecer as peculiaridades da região, aproveitar a natureza e escapar do estresse cotidiano. “Além disso, o visitante pode ajustar seu roteiro conforme descobre aspectos mais interessantes do local em que visita. Uma mobilidade inigualável quando se trata de viagens ao exterior”, destaca o site o portal Ciclo Turismo Europa, especializado em nesse tipo de atividade.

Leia mais  Wet’n Wild: "Noites Macabras" promete mais sustos do que nunca
Dois prazeres em um
Dresden e Brandemburgo estão entre muitas cidades alemãs preparadas para os bikers. Crédito da foto: Divulgação

Na maioria do países — no Brasil, por exemplo –, os ciclistas se deparam com uma série de dificuldades, como a sinalização e manutenção das rotas. A maior parte fica mais afastada de vias expressas e muitas estradas vicinais são praticamente isentas do trânsito de automóveis. Na Alemanha, ao contrário, os problemas ficam restritos a pequenos percursos, especialmente nas áreas montanhosas. Quase todos os percursos para mountain biking disponibilizam serviços básicos e algumas comodidades, como nas regiões de Sauerland, Sankt Wendeler Land — Saarland — e na famosa Floresta Negra. Nesta última, por exemplo, o Bike Park, com um perímetro de 1.400 quilômetros, está a maior rede de trilhas de mountain bike no mundo. Já a Bike Arena, em Sauerland, oferece 30 tours para os visitantes.

Prazer em dobro

Após correr as trilhas, a maioria dos destinos oferece diversas opções para aproveitar os locais, incluindo atividades esportivas e culturais. Além dos conhecidos rios, a Alemanha traz rotas especiais para ciclistas que podem acompanhar suas margens e explorar a região mais de perto. Muitos circuitos de longa distância acompanham rios longos ou curtos como o romântico Lahn, com mais de 250 quilômetros.

A rota ciclística do Elba leva a numerosos vinhais que passam por cidades arborizadas até desaguar no Mar do Norte.

Leia mais  Conheça os dez destinos para intercâmbio mais procurados pelos brasileiros
Dois prazeres em um
Trailers para bicicletas facilitam a vida dos pais. Crédito da foto: Divulgação

Para quem quer viajar, mas acha que seus filhos pequenos não poderiam participar, as rotas da Alemanha reservam uma surpresa especial. Diversos hotéis e campings ao longo dos circuitos de longa distância são próprios para o atendimento familiar. No percurso, crianças passeiam em pequenos trailers específicos para serem acoplados nas bicicletas dos pais.

Se a opção for por turismo urbano, também não tem problema: a maior parte cidades alemães possui infraestrutura completa, Segundo a Federação Alemã de Ciclismo (ADFC). Em Dresden, é possível fazer o percurso da “Blaues Wunder”, ponte suspensa que cruza o Rio Elba. Outra alternativa é visitar o antigo “Warehouse District” de Hamburgo (atualmente um ponto em que fervilham lojas, restaurantes e bares), os clubes mais famosos na capital bávara de Munique ou os bairros italianos e holandeses de Potsdam. Os principais roteiros ainda incluem Berlim, Augsburg, Bonn, Freiburg, Leipzig, München e Münster.

Leia mais  Bolsas de trabalho na Alemanha: inscrições abertas até o dia (16) para jornalistas

Aplicativos

Dois prazeres em um
Rotas alemãs possuem albergues para ciclistas. Crédito da foto: Divulgação

A era dos aplicativos para celulares e iphones facilitou ainda mais a opção pelo bike turismo. Na maioria dos países podem ser utilizados programas para Android e Apple, como Bikemap (http://www.bikemap.net), MapMyRide (www.mapmyride.com), CycleDroid.Strava (www.strava.com), PhiLock (www.philock.net/), Spinlister (https://es.spinlister.com), e Bike Repair (www.bikerepairapp.com). (Redação, com agências)

Comentários

CLASSICRUZEIRO