Mix

Viajar com o pet em segurança é possível

O código brasileiro de trânsito, afinal, proíbe que o animalzinho fique à esquerda ou no colo do motorista



Viajar com o pet em segurança é possível
O uso de acessórios específicos para o transporte do animal é essencial. Crédito da foto: Pixabay.com

Transportar seu pet no carro, seja para uma voltinha no bairro ou pra uma viagem a uma cidade vizinha, não é brincadeira. Seguir algumas dicas básicas é fundamental para garantir a segurança e o conforto de todos os passageiros: caninos, felinos ou humanos.

Também é importante para evitar multas e pontos na carteira. Ou seja, nada de deixar seu cãozinho com o focinho para fora do carro.

Há diversos equipamentos para uma viagem tranquila e segura. Como sempre, vale a pena consultar um veterinário para saber qual é o indicado para o seu pet. Conheça alguns deles:

Cinto de segurança: Para cães de todos os tamanhos, é uma opção prática e barata. Assemelha-se aos cintos de segurança para humanos, mas dá alguma liberdade de movimentação ao pet. E, em caso de acidente, evita que ele seja jogado para frente e o protege de impactos decorrentes de colisão.

Leia mais  Há 50 anos, o homem pisava na Lua

Caixa de transporte: É um excelente método, tanto para gatos como para cachorros. O pet vai lá dentro e a alça do cinto serve para deixá-la presa ao banco. É importante observar como seu animalzinho lida com essa situação (muitas cães não gostam) para tentar minimizar o incômodo.

Cadeira de carro: Boa alternativa para cães pequenos que não se adaptam à caixa de transporte. A cadeira é como um cestinho e, na maioria dos modelos, é presa pelo próprio cinto do carro.

Grade divisória: Esse equipamento complementa outro, como o cinto de segurança. É útil para separar o motorista do cãozinho, especialmente aqueles maiores e mais agitados.

Para a médica veterinária Tatiane Gomes Fernandes, o mais importante é deixar sempre seu pet tranquilo, confortável e seguro. “Comece fazendo viagens curtas. Veja se ele gosta ou fica ansioso ou medroso. Não o traumatize na primeira experiência”, diz. “Muitos pets apresentam enjoo durante o trajeto dentro do carro devido ao grau de nervosismo. A salivação intensa é o principal sinal de que o enjoo esta acontecendo”.

Leia mais  Nintendo anuncia Switch Lite, versão mais simples e barata do console

Em casos como esse, é importante procurar o médico veterinário e expor a situação. Alguns medicamentos podem ser usados para controlar o sintoma, através de comprimidos ou gotas, ou mesmo por injeção.

“Caso o vômito aconteça, não brigue, pois seu cão não faz isso de forma intencional e a bronca o deixará mais apreensivo. O importante é estar preparado. Leve saquinhos descartáveis, uma toalha e/ou tapete higiênico, e lencinho umedecido para limpar seu pet se necessário”, sugere Tatiane.

Ah, e não se esqueça. Dias muito quentes exigem um cuidado a mais, portanto abra os vidros ou ligue o ar condicionado. Em viagens longas, evite alimentar o bichinho até duas horas antes. E, por fim, planeje paradas, para que ele possa beber água, se exercitar e fazer xixi e cocô. (Portal Melhores Amigos)

Comentários

CLASSICRUZEIRO