Mix

Ipem encontra irregularidades em 17% de produtos veterinários

Operação “Bicho Bom” avaliou ração, vacinas e remédios comercializados em pontos diversos no Estado de SP
Ipem fiscalizou lojas de produtos para pets em todo o Estado de São Paulo
Ipem fiscalizou lojas de produtos para pets em todo o Estado de São Paulo. Crédito da foto: Divulgaç~çao / Ipem

 

Pelo menos 17% dos produtos de uso veterinário vendidos no Brasil contém algum tipo de irregularidade. O alerta foi feito ontem pelo Instituto de Pesos e Medidas do Estado de São Paulo (Ipem). De acordo com os resultados da Operação Bicho Bom, realizada pela instituição, os alimentos são os produtos  com mais problemas.

A fiscalização aconteceu entre os dias 14 e 15 de agosto e envolveu tanto itens produzidos no País como importados. Conforme o Ipem, a avaliação incluiu desde ração, vacinas e suplementos até remédios, energéticos, antissépticos e bactericidas. Além desses, foram pesquisados, igualmente, brinquedos, produtos para limpeza, banho e sanitários.

Embora o trabalho tenha abrangido produtos destinados a todos os tipos de animais, o foco é para os domésticos. Entre as espécies abrangidas estão, principalmente, aves, cães, gatos, coelhos, peixes, répteis, roedores, suínos, bovinos, ovinos, caprinos e equinos.

Leia mais  Pets: Para ser saudável é preciso ter higiene

 

No total, foram encontradas irregularidades em seis dos 36 produtos avaliados. Com isso, a proporção de problemas atinge 17% do total. Por outro lado, as empresas autuadas têm dez dias para apresentar defesa ao órgão.

Irregularidades nos produtos veterinários

A mesma operação, realizada em 2016, encontrou erros em 25% dos produtos. De acordo com os resultados encontrados três anos atrás, 13 dos 52 itens avaliados eram impróprios.

O objetivo da ação, conforme o Ipem, era, em primeiro lugar, verificar a fidelidade das indicações de quantidade, peso ou volume nas embalagens. Com isso, a instituição espera, por exemplo, coibir a comercialização de itens com informações em desacordo com a legislação vigente.

A fiscalização abrangeu, igualmente, empresas de todos os portes. Por isso, os produtos foram coletados pelos fiscais do instituto em lojas pequenas, médias e grandes em todo o Estado. Por outro lado, as avaliações ocorreram, simultaneamente, nos laboratórios do Ipem de Bauru, Ribeirão Preto, São José do Rio Preto e São Carlos, além da Capital. A tabela com as irregularidades listadas está disponível neste link.

O Ipem-SP disponibiliza para download o Guia Prático de Consumo. O estudo tem dicas ao consumidor sobre o que observar na hora da compra de diversos produtos. A lista inclui embalados, têxteis, eletrodomésticos, itens que devem trazer o selo do Inmetro. Por fim, há informações  sobre utilização de balanças disponíveis em supermercados, padarias, açougues e outros tipos de comércio. O Guia está disponível para download no site do Ipem-SP.

 

Comentários

CLASSICRUZEIRO