Mix

Cães e gatos também podem aproveitar as festas juninas

Médica veterinária explica como se divertir durante as festividades sem sustos
Cães e gatos também podem aproveitar as festas juninas
Roupas e acessórios devem ser escolhidos com cuidado, garantindo que o animal fique confortável. Crédito da foto: Divulgação

Festas são sempre muito animadas e cheias de alegria, principalmente, nas festividades de junho, como Dia de São João, comemorado no dia 24 de junho, ou então o de Santo Antônio, que foi dia 13 de junho. A época é marcada por comidas e bebidas típicas, fogueira, bandeirinhas e, infelizmente, queima de fogos. Mas, para os cães e gatos, alguns cuidados devem ser tomados. De acordo com a médica veterinária Bárbara Benitez os chamados pratos juninos, não devem ser oferecidos para os pets.

“O ideal é oferecer ao pet, guloseimas e snacks específicos, mas caso o tutor queira fazer uma festa junina, existem alguns petiscos temáticos, como aqueles com sabores de amendoim, paçoca e até bolo específico para cães”, orienta. O único alimento que a médica veterinária cita como alternativa é a pipoca, mas sem óleo, sal, açúcar, manteiga ou qualquer outro tipo de tempero. “Você pode estourar os milhos na água ao invés de óleo, mas não dê em excesso, a pipoca não é para alimentar o cão ou gato, e sim considerada para um momento de prazer e interação do tutor com o pet.”, completa.

Leia mais  Anne é dócil e brincalhona

Roupinhas e acessórios juninos, de acordo com Bárbara, devem ser escolhidos com cuidado. “Certifique-se que o acessório não o incomoda, deve ser leve e de tecido respirável. Preste atenção para ter certeza de que a roupa não o machuca, esteja apertada ou causando incômodo. Não pode haver riscos de enroscar ou estrangular”, explica a médica veterinária.

Barulhos e rojões

Boa parte da diversão em festas juninas se dá pelo uso de outros apetrechos bem específicos: os estalinhos, rojões e fogos de artifício. É nessa hora que os pets sofrem com o medo do barulho. Isso acontece porque os cães, por exemplo, têm uma sensibilidade auditiva bem maior que a nossa e, consequentemente, sentem mais incômodo diante de sons muito altos, além do que, alguns associam o barulho com perigo, causando medo, ansiedade e estresse no pet.

Mas com algumas dicas e muita paciência, você pode ajudá-lo a passar por esse mês festivo sem desgastes emocionais. Durante os fogos, mantenha seu pet dentro de casa ou em algum local em que ele se sinta seguro, com iluminação suave e, de preferência, com a presença do tutor; nunca deixe seu cãozinho preso com correntes ou coleiras. Na hora do susto, ele pode acabar de machucando.

Leia mais  Hoje tem pudim de sobremesa

Caso ele fique solto em casa, não se esqueça de fechar portas e janelas para evitar possíveis fugas. Se morar em apartamento, verifique se as telas de proteção estão firmes. Durante a queima de fogos, desvie a atenção do cãozinho com as brincadeiras que ele mais gosta. E, por fim, consulte um veterinário de confiança para verificar medidas que podem tranquilizar seu amigo em situações como esta. Mas lembre-se, nunca dê nenhum tipo de medicação a ele sem indicação médica. (Da Redação)

Comentários