fbpx
Mix

Cães e gatos: hóspedes muito especiais

Receber um animalzinho em casa requer alguns cuidados para o bem-estar tanto da visita como dos anfitriões
Cães e gatos: hóspedes muito especiais
Para deixar o animal à vontade o anfitrião precisa saber como é sua rotina e suas particularidades. Crédito da foto: pixabay.com

Você não tem um pet para chamar de seu, mas na próxima semana receberá um hóspede todo especial: o cachorro ou o gato de um primo, que tirará um mês de merecidas férias. Superado o entusiasmo inicial, vem a pergunta: como preparar sua casa para a ilustre visita?

Não podemos negar, afinal, que embora os animaizinhos nos deem muitas alegrias, eles fazem uma bagunça e, claro, exigem cuidados dos mais diversos. Com isso em mente, algumas dicas sobre o que fazer para garantir uma boa convivência — e evitar que a residência seja virada de cabeça para baixo — são importantes para o anfitrião.

Vale destacar que as dicas a seguir são apenas as mais fundamentais. É importante conversar com o tutor do pet para saber particularidades com as quais você deve se preocupar, como alguma alergia ou mania.

Primeira apresentação: Se o tutor tiver tempo hábil, marque um encontro de apresentação do pet com você no local onde você irá hospedá-lo. Dessa forma, em um segundo momento, ele já estará mais familiarizado com tudo, facilitando a adaptação.

Leia mais  Botos da Amazônia estão contaminados por mercúrio

Converse com o tutor: Como já ressaltamos, isso é muito importante! Pergunte sobre rotina, alimentação, passeios e medos. Questione também sobre os produtos que o tutor irá fornecer, como caminha e brinquedos, e o que você terá que providenciar.

“Se o pet necessita de alguma medicação contínua, é importante continuar o fornecimento dos medicamentos nos horários corretos e entender qual a melhor forma de administrá-los. Alguns dão mais trabalho ou se estressam neste momento”, afirma a médica veterinária Tatiane Gomes Fernandes. “Sobre os alimentos, não forneça nada além do que o tutor informou, pois qualquer novidade pode gerar problemas a saúde. E siga corretamente a quantidade de fornecimento diário, pois o excesso também não faz bem.”

Cuidados com os móveis: Proteja móveis que estejam sujeitos a danos, como sofás e poltronas, com capas ou mesmo toalhas antigas. Itens de decoração também podem ser guardados, ainda mais os quebradiços. Cogite também recolher tapetes valiosos — vai que o cãozinho deixe lá uma “surpresinha”. Se o pet tiver comportamento destruidor, uma atenção a mais se fará necessária.

Fique atento a substâncias tóxicas, inclusive plantas: Não deixe substâncias tóxicas, como produtos de limpeza e perfumes, acessíveis ao pet. Algumas plantas também fazem mal para nossos bichinhos. “E alimentos, como chocolates, cebola, uva, entre outros podem gerar quadros de intoxicação”, diz Tatiane. “Guarde-os bem”.

Leia mais  Alergia em gatos, um diagnóstico difícil e necessário

Nada de tomadas e cabos expostos: Evite deixar cabos expostos e tomadas à mostra. O pet pode se enroscar em algum fio ou tomar um choque ao levar o focinho à tomada.

Lugar para fazer xixi: Delimite, mesmo antes de o pet chegar, o local onde ele deverá fazer suas necessidades. Isso é importante especialmente em apartamentos. Coloque jornal, tapete higiênico ou caixa de areia no espaço. Se o bichinho for treinado, ele saberá o que fazer. Caso ele não seja, entenda que um pouco mais de paciência será necessária.

Varandas, sacadas, janelas e portões: Se a sua residência possui sacada ou varanda, verifique se há vãos que podem representar riscos à segurança do pet. Não o deixe lá sem supervisão — o ideal é que os vãos sejam cobertos com telas ou grades. Em casas, redobre a atenção na hora de sair e entrar, pois o cãozinho pode aproveitar esse momento para sair correndo pelo portão.

Leia mais  App ensina sobre o bem-estar animal

Dê atenção e carinho: Todo pet precisa de atenção e carinho. Mesmo que o cãozinho ou gatinho esteja acostumado a ficar sozinho, é importante fazer uma “festa” quando voltar. Mostre que não só sua casa está aberta a ele, mas também seu coração. Ah, e quer deixar o tutor feliz e tranquilo? Faço fotos e vídeos com o pet para mostrar como foi o dia do bichinho

“O mais importante é tentar fazer os pets se sentirem à vontade e seguros, pois com certeza a distância do seu tutor já os deixa apreensivos. Faça com que seu ambiente se torne familiar a eles”, recomenda Tatiane. (Portal Melhores Amigos)

Comentários

CLASSICRUZEIRO