Buscar no Cruzeiro

Buscar

Bichos

Três passos para ajudar na saúde do seu gato

Estimular a prática de exercícios físicos e o consumo de água são duas das dicas para os tutores

03 de Julho de 2021 às 00:01
Da Redação [email protected]
O consumo de água previne problemas renais, que são comuns nos felinos.
O consumo de água previne problemas renais, que são comuns nos felinos. (Crédito: PIXABAY.COM )

As adoções de gatos aumentaram em 30% desde o início da pandemia no Brasil. O número é extraído de um levantamento da Royal Canin, feito no segundo semestre de 2020, e que casa com outra estatística, desta vez apontada pela pesquisa Radar Pet 2020: são 30 milhões de felinos em casas e apartamentos por todo o País.

Seja para gatos e tutores que estão convivendo pela primeira vez neste momento, seja para quem já cria essas fofuras há algum tempo, é importante ter em mente que os felinos são animais que requerem cuidados especiais. Proporcionar um ambiente feliz e saudável aumenta a qualidade de vida e ajuda a evitar doenças que podem encurtar a vida do seu animalzinho.
Saiba então, alguns hábitos saudáveis para estimular no bichano:

Beber água

“Estimular o gato a beber água é um dos hábitos mais importantes para a qualidade de vida dele. A insuficiência renal em felinos é, infelizmente, uma doença muito comum e que é responsável por encurtar a vida dos nossos pets”, explica Agnes Cristina, CEO da empresa paulistana CatMyPet. “Naturalmente, o gato tende a ingerir menos água. A isso, soma-se o consumo de rações secas. Se não houver estímulo para a hidratação, essa combinação pode sobrecarregar os rins dos gatos”.

Fazer exercícios

Gato saudável é gato brincalhão, que está sempre alerta e adora “caçar” pela casa. Um gato sedentário pode ter uma série de problemas de saúde, como estresse, depressão, cardiopatias, artrite e obesidade, entre outros.

A adoção de gatos aumentou consideravelmente durante a pandemia. - PIXABAY.COM
A adoção de gatos aumentou consideravelmente durante a pandemia. (crédito: PIXABAY.COM)

Por isso, estimule o animal a se movimentar. Brinque com ele ao menos uma vez ao dia, fazendo com que pule, corra e se alongue. O enriquecimento ambiental também é primordial, pois evita que o pet fique entediado, ansioso e acabe tendo comportamentos compulsivos ou agressivos, o que não é nada positivo para a saúde dele.

Alimentação

Gatos possuem necessidades nutricionais específicas. Em hipótese alguma alimente seu bichinho com doces, pães, salgadinhos e guloseimas humanas, pois isso pode causar desde desconfortos gástricos até doenças mais sérias, como o diabetes.

A ração e os alimentos úmidos também precisam de atenção ao serem servidos. Dar comida ao gato toda hora pode culminar em ganho de peso e, consequentemente, na obesidade felina.

Para saber quanto o seu gatinho deve comer, verifique as instruções de quantidade na tabela que vem no pacote da ração ou siga as orientações do veterinário. Fracione o total em algumas refeições, fornecendo uma alimentação equilibrada.

Para finalizar, uma dica essencial: ao sinal de alterações no apetite, no comportamento, na urina ou nas fezes, não hesite em levar o gato ao veterinário para verificar o que está ocorrendo. Outro sinal de que pode haver insuficiência renal e que merece atenção é o xixi fora da caixa de areia. É um alerta muito importante e muito negligenciado, normalmente associado a um problema comportamental, e não a um problema de saúde.

Nos quadros de insuficiência renal, a detecção precoce permite um maior sucesso no tratamento, dando mais qualidade de vida ao bichano. O mesmo vale para possíveis outras alterações: quanto mais cedo, melhor. (Da Redação)

Galeria

Confira a galeria de fotos