Buscar no Cruzeiro

Buscar

Dálmata, um cão cheio de energia

24 de Abril de 2021 às 00:01
Cruzeiro do Sul [email protected]
O dálmata precisa de estímulos e exercícios para gastar energia.
O dálmata precisa de estímulos e exercícios para gastar energia. (Crédito: PIXABAY.COM)

O visual dos dálmatas é famoso no mundo todo. Muito provavelmente, o grande responsável pela fama dos cães cheios de manchinhas pretas é a animação 101 Dálmatas (Disney, 1961) mas verdade seja dita, esses cães já existiam há um bom tempo. Pelo menos, algumas centenas de anos. As certezas em relação à origem de diversas raças são poucas.

Mas existem algumas pistas. De acordo com o American Kennel Club, no começo do século 18 a raça estava associada com uma fatia da Europa Central, às margens do Mar Adriático, em uma região chamada Dalmácia. Atualmente, essa área abrange pedaços da Croácia, Bósnia e Herzegovina e Montenegro. No entanto, existem teorias de que cães muito semelhantes aos Dálmatas estivessem presentes até no Antigo Egito (de 3.100 a.C. a 30 a.C)

Por falar nisso, são considerados cães muito inteligentes, mas de alta energia. Os filhotes nascem sem pintas, que vão surgindo durante as primeiras semanas de vida. Crescem bastante e podem pesar de 18 kg a 28 kg, com uma altura de até 60 cm.

Considera-se que dálmatas são bastante amorosos com a família humana, mas podem ser um tanto desconfiados de estranhos, ou com outros cães -- mais um motivo para o adestramento acontecer cedo, e apresentar o cão a muitos estímulos externos.

No cotidiano, precisam de bastante atividade física para manterem-se saudáveis e felizes. Caso ele não tenha uma rotina de exercícios e distrações apropriadas, o dálmata tem propensão a causar problemas, ou destruição em casa. Ou seja, é um grande amigo que precisa de atenção, de alguém que goste de passar tempo com um pet. (Portal Melhores Amigos)