Cruzeirinho

Pequenos e conscientes: crianças aprendem a se prevenir de doenças

Veja dicas sobre coronavírus, dengue e sarampo
Pequenos e muito conscientes
As crianças saíram pelas ruas do bairro para alertar sobre uma das doenças que estão sendo alvo de preocupação ultimamente: a dengue. Crédito da foto: Vinícius Fonseca / Arquivo JCS (13/3/2020)

 

*Atualizada às 14h20

Crianças de todas as idades estão aprendendo a se cuidar com as orientações recebidas nas escolas a respeito de prevenção de várias doenças. Atualmente, as mais críticas são o coronavírus, a dengue e o sarampo. Em Sorocaba, até este domingo (22), já eram 98 os casos suspeitos de coronavírus, também chamado de Covid-19. Já sobre a dengue, de acordo com o último boletim, estavam confirmados 760 casos. Com relação ao sarampo, no ano passado 76 pessoas contraíram a doença e neste ano já havia quatro confirmados.

Na Escola Estadual Professora Nazira Nagib Jorge Murad Rodrigues, do Bairro dos Morros, alunos de todas as séries atendidas, dos 5 aos 11 anos, ou seja, do 1º ao 5º ano do ensino fundamental, estudaram sobre essas doenças e estão ajudando a informar os pais, em casa. Eles escreveram textos, fizeram desenhos e até artesanato, ao criarem mosquitos gigantes da dengue para decorar a escola.

Os mais velhos, dos 5ºs anos, produziram cartazes, folhetos e saíram pelas ruas no dia 13 de março, para passar o conhecimento adquirido para a população que mora ao redor da escola. Como o problema maior em Sorocaba até então era a dengue, eles resolveram fazer uma manifestação para alertar as pessoas sobre a prevenção. Os pequenos saíram pelo bairro portando faixas, cartazes, folhetos e ainda tocando instrumentos musicais para chamar a atenção. O exemplo de cidadania também se estende para a casa de cada um.

Pequenos e muito conscientes
Crédito da foto: Vinícius Fonseca / Arquivo JCS (13/3/2020)

 

Pequenos e muito conscientes
Crédito da foto: Vinícius Fonseca / Arquivo JCS (13/3/2020)

Ana Júlia Gomes Rodrigues, 10 anos, 5º B, disse que tem ajudado sua mãe a evitar a dengue. “Ajudo a tirar os potinhos da planta, limpar a piscina quando a gente monta… Me sinto muito bem de fazer algo”, afirma.

Seu colega de classe, Pedro Henrique Andrade de Moura, 11 anos, conta que ele e os pais já tiveram dengue. “Não é uma coisa boa. Minha mãe ficou pior e quando vi que ela estava mal, eu também fiquei muito mal. Uma dica é sempre buscar informações com quem tem mais informação que você”, aconselha.

Conforme ele, as pessoas estão muito preocupadas com o coronavírus e se esquecendo de prevenir a dengue. “A dengue está no nosso quintal e aqui ainda não temos nenhum caso de corona confirmado. Então é importante ajudar na casa, a tirar água das vasilhas. Mesmo quem já teve dengue tem de se prevenir, porque pode pegar de novo.”

Leia mais  Um casal e seu ninho

Pedro afirma que está se prevenindo. “A dengue transmite tão rápido quanto o coronavírus. A gente tem a chance de vencer a dengue porque podemos ver o mosquito.”

Nathalia Barros Noveli, 10 anos, 5ºA, lembra que para combater a dengue é preciso eliminar tudo que acumule água parada, para não atrair criadouros do mosquito. Caíque Sanches Jardim, 10 anos, também do 5ºA, concorda. “Até mesmo um papelzinho pequeno de bala gera criadouro da dengue, porque esse mosquito consegue colocar seus filhotes nos menores lugares possíveis.” Além da dengue, o Aedes aegypti é transmissor da chikungunya, zika e febre amarela, lembra o estudante Luiz Miguel Ramos, 10 anos, do 5ºA.

Doença nova

Pequenos e muito conscientes
Um grande painel foi feito pelos alunos com orientações sobre as doenças. Crédito da foto: Vinícius Fonseca / Arquivo JCS (13/3/2020)

O coronavírus é uma doença nova, que acaba de chegar no Brasil e tem causado, inclusive, a necessidade de cancelamento de atividades, como as aulas, shows, eventos, missas, entre outras. O objetivo dessas ações, que com certeza já atingiram a sua rotina, é evitar que o vírus se espalhe muito rapidamente pelo Brasil.

Sobre o coronavírus, Luiz Miguel afirma que está mudando seus próprios hábitos. “Essa é uma doença causada por um vírus microscópico, que vive em lugares mais frios e está se adaptando ao calor do Brasil, então temos de lavar bem as mãos e cuidar da higiene pessoal, para não pegar a doença”, afirma.

Conforme Luiz, se for tossir ou espirrar, tem de colocar o braço na frente. “Também tem de deixar as janelas dos ambientes abertas, para sair o vírus.” Ele ainda afirma que para não pegar a doença, está se cuidando. “Estou me alimentando bem, passando álcool gel. Sei que não pode mexer na boca, nariz e olhos, mas quando a gente quer coçar é difícil, estou tentando não coçar.”

Rafael Grassi de Souza, 10 anos, 5ºB, complementa falando que ao lavar as mãos é preciso higienizar até o pulso. E lembra que os principais sintomas são febre, problemas respiratórios e coriza.

Leia mais  Você já cumprimentou seu vizinho hoje?

Quando dá, tem que vacinar!

Pequenos e muito conscientes
Folhetos informativos e até uma réplica do mosquito foram confeccionados pelas crianças. Crédito da foto: Vinícius Fonseca / Arquivo JCS (13/3/2020)

Sobre o sarampo, a Ludmila Vitória Santana Pereira, 10 anos, 5ºB, disse que tem muita gente morrendo por causa dessa doença. “Principalmente crianças, porque as pessoas deixaram de vacinar. É importante vacinar, senão pode pegar sarampo… por isso que a doença está voltando.”

O sarampo é uma doença de origem viral altamente contagiosa. O último caso em Sorocaba havia sido registrado em 1999, até voltar no ano passado.

Todos os alunos da Nazira estão conscientes de sua responsabilidade. Vale ressaltar que a turminha do 2º ano fez até uma música para conscientizar sobre a dengue. Vestidos como agentes de saúde, eles cantaram para os colegas da escola. Confira clicando no QR Code. E você? tem feito a sua parte? Nós do Cruzeirinho esperamos que sim. Bom domingo! (Daniela Jacinto)

Coronavírus

Como prevenir:
– Lave as mãos frequentemente com água e sabonete por pelo menos 20 segundos, ou use álcool em gel 70% quando a primeira opção não for possível;
– Evite tocar nos olhos, nariz e boca com as mãos não lavadas;
– Evitar contato próximo com pessoas doentes;
– Use lenço de papel para cobrir boca e nariz ao tossir ou espirrar, e descarte no lixo após o uso;
– Não compartilhe copos, talheres e objetos de uso pessoal;
– Limpe e desinfete objetos e superfícies tocados com frequência;
– Mantenha ambientes bem ventilados e higienize as mãos após tossir ou espirrar.

Formas de contágio:
– A doença pode se espalhar desde que alguém esteja a menos de 2 metros de distância de uma pessoa com a doença;
– A transmissão pode ocorrer por gotículas de saliva, espirro, tosse ou catarro, que podem ser repassados por toque ou aperto de mão, objetos ou superfícies contaminadas pelo infectado.

Principais sintomas:
– Febre, cansaço e tosse seca;
– Parte dos pacientes pode apresentar dores, congestão nasal, coriza, tosse e diarreia;
– Alguns pacientes podem ser assintomáticos, ou seja, estarem infectados pelo vírus, mas não apresentarem sintomas. (Fonte: Agência Brasil)

Leia mais  Acrobacias dentro de casa
Coronavírus
Crédito da foto: Pixabay

Dengue

Como prevenir:
– As garrafas devem ser deixadas em local coberto ou de boca para baixo;
– Tampe os ralos com telas ou mantenha-os vedados, principalmente os que estão fora de uso;
– Deixe a tampa do vaso sanitário sempre fechada ou vede com plástico;
– Atrás da geladeira existe um coletor de água. Lave-o uma vez por semana, assim como as bandejas do ar-condicionado;
– Evite ter bromélias e outras plantas que acumulam água, ou retire semanalmente a água das folhas;
– Os potes com água para animais devem ser muito bem lavados com água corrente e sabão no mínimo duas vezes por semana;
– Mantenha pratinhos de vasos de plantas limpos e coloque areia até a borda;
– Lixo, entulho e pneus velhos devem ser jogados. Se quiser guardar os pneus, deixe em local coberto ou faça furos para não acumular água.

Formas de contágio:
– A dengue é transmitida pela picada do mosquito Aedes aegypti. Após picar uma pessoa infectada, a fêmea pode transmitir o vírus para outras pessoas;
– Há registro de transmissão por transfusão sanguínea.

Principais sintomas:
– Febre alta, maior que 38,5ºC;
– Dores musculares intensas;
– Dor ao movimentar os olhos;
– Mal-estar;
– Falta de apetite;
– Dor de cabeça;
– Manchas vermelhas no corpo. (Fonte: Ministério da Saúde)

Sarampo

Como prevenir:
– A maneira de evitar o sarampo é tomando a vacina.

Formas de contágio:
– A transmissão ocorre quando o doente tosse, fala, espirra ou respira próximo de outras pessoas;
– O sarampo é tão contagioso que uma pessoa infectada pode transmitir para 90% das pessoas próximas que não estejam imunes.

Principais sintomas:
– Febre acompanhada de tosse;
– Irritação nos olhos;
– Nariz escorrendo ou entupido;
– Mal-estar intenso. (Fonte: Ministério da Saúde)

Comentários