Educare

Na reta final para enfrentar o Enem

Estudantes se prepararam o ano todo e tentam conter a ansiedade e imprevistos com a mudança de horário
Na reta final para enfrentar o Enem
Crédito da foto: Pedro Negão / Arquivo JCS (19/10/16)

Em Sorocaba, 17.120 candidatos prestarão o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) no próximo domingo, dia 4, e na semana seguinte, dia 11. As notas valem para o ingresso em faculdades públicas e particulares. Este ano, a recomendação é que todos fiquem atentos à mudança de horário, pois o primeiro dia de prova coincide com o primeiro dia do horário de verão. A partir da meia-noite do dia 4 de novembro, os relógios devem ser adiantados em uma hora. A abertura dos portões será às 12h e o fechamento 13h em ponto. As provas começam 13h30 e terminam 19h.
Desde a edição de 2015, o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) não envia mais o local da prova pelos Correios. Para consultar onde será, é preciso acessar a Página do Participante, disponível no site http://enem.inep.gov.br/participante. Preencha as informações e, em seguida, você poderá visualizar o Cartão de Confirmação. Nele constará o endereço e também os horários das provas. Júlia Carolina Leite, 16 anos, é uma das estudantes que prestará o exame no domingo. Ela conta que fez a prova pela primeira vez no ano passado, como treineira. “Obtive uma nota razoável, mas o suficiente para o curso que quero. Este ano passei por uma revisão de conteúdos e estou com expectativa maior, apesar de não ser minha prioridade porque planejo fazer intercâmbio.”

Na reta final para enfrentar o Enem
Júlia fez revisão dos conteúdos. Crédito da foto: Arquivo Pessoal

Por ter essa outra possibilidade é que Júlia afirma não estar nervosa. “Caso não passe na prova, tenho outras possibilidades”, afirma. “Existe uma pressão por parte da escola, às vezes da família e até da própria pessoa, que se cobra para passar no exame, o que gera ansiedade”, diz. Júlia acredita que o nervosismo atrapalha muito, principalmente quando a pessoa depende apenas disso. “O Enem é mais acessível do que prestar um vestibular, que é caro, então muitas pessoas apostam todas as fichas nele”, observa ela, que ainda está resolvendo se pretende cursar Relações Internacionais ou História.

Leia mais  CNE aprova nova base nacional curricular para o ensino médio

Sobre o horário de verão, a estudante acredita que vai atrapalhar muitas pessoas. “Tem celular que altera automaticamente e outros que não, o que acaba causando bagunça. Pode acontecer de um celular mudar e a pessoa não perceber. Nesse caso ela corre o risco de adiantar mais uma hora. Pra ser sincera, achei que foi sacanagem deixarem o começo do horário de verão exatamente no dia do Enem.”

Na reta final para enfrentar o Enem
Leonardo diz estar ansioso pela prova. Crédito da foto: Arquivo Pessoal

Leonardo Chagas, 19 anos, confessa que está ansioso pela prova. Ele já sabe como funciona porque prestou duas vezes, uma quando estava no segundo ano e outra no terceiro. No entanto, ele afirma que era aluno de uma escola que tinha um ensino mais fraco, e por isso não se sente preparado. “Estudei um pouco, mas…”.

A vontade mesmo de Leonardo era fazer faculdade de Odontologia. “Acho que não vou conseguir, então vou tentar Administração dessa vez. Estou numa fase que não posso fazer aquilo que quero e sim o que eu preciso.”

Com relação ao horário de verão, ele afirma que não se importa muito. “Dormindo cedo ou tarde, sempre consigo cumprir meus compromissos. Sou muito responsável e nunca atrasei”, comenta, mas admite que o sono pode vir. Ele lembra que uma vez já aconteceu de ficar com sono na prova, mas depois passou.

Na reta final para enfrentar o Enem
Victoria pretende dormir cedo para ir tranquila para a prova. Crédito da foto: Arquivo Pessoal

Já a estudante Victoria Maria Barros Guerreiro, 18 anos, que pretende fazer Psicologia, afirma que está nervosa, mas tenta não ficar pensando sobre isso. “Porque quanto mais eu penso, mais fico ansiosa, e já viu né. Quando ataca a ansiedade já era. Fico memorizando: ‘Sou mais do que essa prova e essa nota’.”

Leia mais  Especialistas questionam eficácia do uso de apostilas

Victoria participou outras vezes como treineira, mas agora é oficial. “Eu estudei o ano todo para isso. Eu miro na PUC-SP, mas a nota de corte deles é alta. Caso não vá tão bem assim, farei a Uniso aqui em Sorocaba mesmo.”

Para ir tranquila para o exame, ela pretende dormir cedo e acordar 8h. “Não pensei no horário de verão porque não sei de nenhuma maneira de me adaptar.”

Dica é descansar e ir para a cama mais cedo

Por falar na adaptação ao horário de verão, o médico neurologista Sandro Blasi Esposito, professor da Pontifícia Universidade Católica (PUC) campus de Sorocaba, lembra que com o adiantamento de uma hora, o organismo demora um tempo para se adaptar. “Normalmente esse período é pequeno, de três a cinco dias. Então o certo é dormir um pouco mais cedo nestes dias que antecedem a mudança, para o corpo já ir acostumando. Se for deitar e acordar no horário que está acostumado, perderá uma hora de sono.”

Na reta final para enfrentar o Enem
O neurologista Sandro Blasi explica que a falta de sono pode prejudicar o raciocínio. Crédito da foto: Aldo V. Silva / Arquivo JCS

E por falar em dormir, uma boa noite de sono é fundamental para quem vai passar por um teste como esse, em que o futuro depende do bom resultado nas provas. “Aconselho dormir em um local agradável, com pouca luminosidade, porque o organismo está acostumado a produzir substâncias químicas no escuro. Além disso, a luz acesa incomoda e pode prejudicar as substâncias que ajudam a induzir o sono.”

Por isso, Sandro complementa: “Nada de dormir com luz acesa e TV ligada. Também é preciso evitar bebidas estimulantes à noite, como café e refrigerantes, pois vão te deixar acordado. A gente sabe que o papel do sono não serve apenas para restaurar atividades energéticas, mas o funcionamento adequado da nossa mente, porque tem função restauradora, cognitiva e de memorização.” O que significa, em outras palavras, que se você não dormir bem, pode sentir sono na hora da prova e também sofrer do famoso “branco”.

Leia mais  MEC lança projeto para escola mais atrativa aos adolescentes

Sandro ainda aconselha aqueles que são de última hora a não querer recuperar tudo o que não estudou na véspera. O dia anterior da prova deve ser de tranquilidade, para que o nervosismo não prejudique os resultados.

Outra dica é não fazer uma refeição muito pesada na noite anterior e também no dia da prova. “Para que seja mais fácil a digestão”, complementa. Já para quem é acostumado a fazer exercícios, o médico aconselha a não deixar as atividades físicas nestes dias que antecedem a prova, porque elas contribuem para o bem-estar.

Urbes monta esquema especial

A Urbes — Trânsito e Transporte adotará medidas especiais para atender os estudantes que farão o Enem nos dias 4 e 11 de novembro. O setor de Transporte acompanhará a movimentação disponibilizando viagens extras sempre que necessário. Agentes de trânsito estarão nas proximidades das universidades em que serão aplicadas as provas para orientar os pedestres e condutores, visando a segurança de todos e a fluidez do tráfego. Excepcionalmente nesses dias será liberada a utilização do passe estudante para quem possui esse tipo de benefício. A Urbes informa também que criará linhas especiais para atendimento: Linha Especial Unip (partirá do Terminal São Paulo, Plataforma 1, Ponto D, a cada oito minutos desde as 10h30); Linha Especial Anhanguera (partirá do Terminal Santo Antônio, Plataforma 1, Ponto C, a cada nove minutos a partir das 10h30); Linha Especial Cidade Universitária (partirá do Terminal São Paulo, Plataforma 1, Ponto C, com partidas a cada nove minutos a partir das 10h30). (Daniela Jacinto)

Comentários
Assuntos

CLASSICRUZEIRO