Mix Suplementos

Cuidar de pets pode ser uma tarefa lucrativa e prazerosa

Serviço já é oferecido por meio de plataformas e aplicativos
Há casos de cuidadores que fizeram do serviço sua renda principal. Crédito da foto: Pixabay.com

Ganhar dinheiro por cuidar de pets deve ser o trabalho dos sonhos para quem é apaixonado por animais de estimação. E em um ano desafiador, inclusive financeiramente, fazer uma renda extra com a atividade pode ser real — desde que haja muita responsabilidade.

Plataformas e aplicativos de prestação de serviços aceitam cadastro de qualquer pessoa interessada em oferecer hospedagem, passeio ou cuidados domiciliares aos bichinhos. No entanto, avaliações criteriosas são determinantes para se avaliar a aptidão para estar com cães e gatos.

A princípio, não é requisito ter experiência profissional — exceto pelo serviço de veterinário, mas ter tido pets em casa, a forma como cuidou deles e as pretensões com a prestação de serviço valem muito. E há quem comece de forma despretensiosa e acabe transformando o hobby em uma missão de vida.

Sandra Moura é veterinária por formação, mas não exercia a clínica e trabalhava com eventos até que, em 2015, se cadastrou para ser anfitriã da DogHero. A plataforma on-line oferece serviços de hospedagem domiciliar, creche, passeios, pet sitter e atendimento veterinário a domicílio. “Eu sempre quis hospedar, fazia isso com amigos, amigos de filhos. Informalmente, cuidava dos pets de conhecidos. A proposta ‘me trouxe possibilidade profissional, de trabalho com segurança”, ela conta, que se especializou em comportamento animal após se firmar com a plataforma.

Atualmente, toda a fonte de renda da Sandra vem do trabalho que faz com os cachorros. Ela mora em uma grande casa na cidade de São Paulo onde consegue receber até 15 animais – fora os dez que são dela. A residência, com o tempo, foi adaptada para o bem-estar deles e, com o fim de ano, a lotação máxima é garantida. No perfil @casa_da_vo_san, no Instagram, ela compartilha “o privilégio de receber, hospedar, cuidar e amar muito os doguitos”.

Leia mais  Fique de olho: verão é época propícia para a leishmaniose

“A gente tem um aumento de demanda no final de ano. Muitos heróis começam de maneira despretensiosa e acabam se encontrando em fazer isso. Vemos dezenas de pessoas achando a profissão, acabam se profissionalizando e migrando. O que antes era um hobby, se transformou para fazer isso integralmente”, diz Isabella Albuquerque, head de confiança e segurança da DogHero.

Plataformas

Há diversas plataformas onde as pessoas podem buscar por prestadores de serviços em diversas áreas. A GetNinjas é uma delas, com mais de 500 tipos disponíveis, e aceita cadastro de trabalhadores autônomos e pessoas jurídicas que queiram captar mais clientes. Na área pet, há oportunidades para adestradores de cães, passeador, pet sitter, banho e tosa, veterinário.

Após um cadastro no site, os profissionais são habilitados no aplicativo depois de uma verificação de documentos. “Essa validação é realizada para garantir que o novo profissional é quem de fato informa ser e de que presta tais serviços”, explicou a plataforma por meio de nota. “Os profissionais são avaliados após o término do serviço pelo cliente e essas avaliações ajudam os próximos clientes a comparar os perfis de profissionais que entram em contato, além dos preços, negociar e tomar a decisão de contratação”, diz a GetNinjas.

Na plataforma específica para pets, há uma média de R$ 45 a R$ 70 por noite de hospedagem e R$ 35 para o serviço de creche. No caso de pet sitter, o ganho fica em torno de R$ 35 para uma visita com uma hora de duração. Para o atendimento veterinário domiciliar, único que exige profissional formado, as consultas tem preço médio de R$ 150. Já os passeios têm duração de 30 minutos ou uma hora e custam de R$ 19,90 a R$ 35. (Ludimila Honorato – Estadão Conteúdo)

Leia mais  Saiba escolher o alimento ideal para cães e gatos

 

Comentários