Casa e Acabamento

Todo o charme (e conforto) das cabeceiras

Antes vistas como dispensáveis, as cabeceiras valorizam a protagonista do ambiente: a cama
Todo o charme (e conforto) das cabeceiras
Na horizontal, a cabeceira faz os quartos estreitos parecerem mais largos. Crédito da foto: Carlos Piratininga / Divulgação

As cabeceiras de camas muitas vezes são deixadas de lado, principalmente nas camas modelo box, que são produzidas sem esse item. Embora tratadas como coadjuvantes, nos últimos tempos elas vêm sendo mais valorizadas na decoração. Com o criado-mudo, criam um recanto de relaxamento no quarto.

A arquiteta Cristiane Schiavoni mostra que esse elemento é importante e revela materiais bem-vindos quando o espaço é mínimo ou o dinheiro está curto.

Além do apelo estético, a cabeceira garante conforto. “Ela dá porte para a cama, que é a protagonista do ambiente. E, em termos práticos, protege a cabeça da friagem e da umidade”, diz Cristiane. Ela lembra que o acessório também é indicado para quem gosta de ler ou assistir filmes na cama. Nesses casos, a aposta é por modelos estofados, para que o morador fique ainda mais confortável.

Leia mais  Porcelanatos gigantes para utilização em móveis e outras peças
Todo o charme (e conforto) das cabeceiras
O modelo estofado, avançando até final do criado-mudo, garante conforto para ler ou ver TV.

Quanto aos materiais, “vários são bem-vindos, como tecido, couro, madeira, fibra natural ou sintética”, explica a arquiteta. “A escolha varia conforme o estilo e as características do ambiente.” Em casos de espaços pequenos e verba restrita, ela sugere adesivo ou pintura, mas apenas para delimitar a área de descanso, sem os benefícios de conforto de uma cabeceira normal.

Outra dica importante está relacionada ao criado-mudo. “Não precisa coordenar o acabamento entre os dois móveis. O importante é que sigam a mesma linguagem visual”, aconselha a profissional.

Normalmente há dúvida sobre qual tamanho de cabeceira é o ideal. “Não existe uma regra, mas costumo adotar o mesmo tamanho da cama ou seguir até o final do criado-mudo”, diz Cristiane. Em camas de solteiro, além de vestir a parede atrás da cabeça, também vale continuar com o mesmo material nas laterais da cama. Dessa maneira, basta adicionar almofadas para a cama servir também como encosto de um sofá — boa ideia para quartos de crianças.

Leia mais  Revestimento remete aos ladrilhos hidráulicos
Todo o charme (e conforto) das cabeceiras
O acabamento não precisa ser igual ao do criado, mas deve manter a mesma linguagem visual. Crédito da foto: Raul Fonseca / Divulgação

A arquiteta revela um segredo: “Quando posicionada na vertical, a cabeceira traz a impressão de que o pé direito é maior. Na horizontal, o ambiente parece mais largo. Mas ela alerta para um cuidado, pois em quartos estreitos a cabeceira vertical tende a piorar a sensação de aperto.

Comentários

CLASSICRUZEIRO