Casa e Acabamento

Em cada detalhe do dia a dia

Exposição Casa do Alumínio mostra como esse derivado da bauxita está presente em nosso cotidiano
Em cada detalhe do dia a dia
A exposição idealizada pela Companhia Brasileira de Alumínio consiste numa casa cenográfica de 100 metros quadrados que comprova a importância desse material nos sistemas construtivos. Crédito da foto: Fábio Rogério

Ele está na estrutura, no acabamento, na mobília, na decoração e em pequenos elementos do dia a dia. O derivado da bauxita é o protagonista na exposição “Casa do Alumínio – uma experiência de arquitetura, arte e design”. O projeto consiste em uma casa cenográfica de 100 metros quadrados, planejada para mostrar a importância do alumínio nos sistemas construtivos. A casa é idealizada pela Companhia Brasileira de Alumínio (CBA) e fica exposta até este domingo (28) na cidade Alumínio, com entrada gratuita.

Dividida em espaços como quarto, living, banheiro, copa, varanda e garagem, a Casa do Alumínio expõe a presença, muitas vezes imperceptível, porém fundamental do alumínio em uma residência. O material está em todos os ambientes, utilizado em mobiliários, objetos de decoração, equipamentos e sistemas construtivos. Até o piso da casa é feito de chapas de alumínio e as paredes contam com ACM, conhecido como alumínio composto.

Em cada detalhe do dia a dia
A proposta da exposição é mostrar como o alumínio agrega diferenciais importantes – por exemplo, no design. Crédito da foto: Fábio Rogério

A arquiteta Magda Reis é a consultora do projeto e conta que a proposta da exposição é mostrar como o alumínio agrega diferenciais importantes de design, qualidade, desempenho e economia a produtos e sistemas construtivos, “propiciando segurança, conforto e bem-estar aos usuários”. Entre os itens agregados ao projeto, há painéis fotovoltaicos, persianas internas de alumínio, luminárias e também objetos já muito presentes nas casas brasileiras, como panelas, talheres, eletrodomésticos, fechaduras e torneiras.

Leia mais  Piso novo não é sinônimo de quebra-quebra

Silvia Toledo é gerente do Centro Cultural do Alumínio e conta que outro destaque da casa é mostrar como o alumínio é bastante presente na produção de arte, seja como matéria-prima, obra ou matriz. Ela ficou responsável por encontrar peças para compor a decoração da casa e todo esse trabalho levou aproximadamente seis meses. “Temos objetos muito especiais expostos, que mostram a versatilidade e a beleza do material”, destaca.

Em cada detalhe do dia a dia
O material está presente em todos os ambientes da residência, inclusive no mobiliário. Crédito da foto: Fábio Rogério

Entre as criações artísticas que podem ser vistas na casa estão obras de Maria Bonomi, Hans Günter Flieg, Paulo Bordhin, Valter Nu, Osni Branco, Guto Índio da Costa, Hugo Curti, Humberto e Fernando Campana, Tatiana Stropp e Silvia Ruiz, entre outros. “As pessoas que conhecem a casa ficam surpresas com tantas possibilidades de utilização do alumínio em aplicações comuns a uma residência, além de conhecerem mais sobre o processo criativo de artistas e designers que trabalham com o metal nas mais variadas formas”, ressalta Flávio Enninger, diretor cultural do projeto. Enquanto visitam a asa, as pessoas podem assistir diversos depoimentos de artistas que trabalham com o alumínio.

Leia mais  Fluidez e um novo astral para o lar

Ricardo Carvalho, diretor-presidente da CBA, destaca que embora pareça um material bruto, que passa por diversas etapas até ser convertido em barras e lingotes e, assim, destinado ao seu uso final, o alumínio tem muita leveza e uma capacidade infinita de ser reciclado. “A relevância do alumínio na sociedade moderna é motivo de orgulho para o nosso município”, afirma.

Itinerante

Em cada detalhe do dia a dia
Os painéis fotovoltaicos estão enter os itens agregados ao projeto, junto com persianas, luminárias e objetos. Crédito da foto: Fábio Rogério

A cidade de Alumínio foi o primeiro local a receber a Casa depois de sua estreia em setembro de 2018, durante o 8º Congresso Internacional do Alumínio e ExpoAlumínio, em São Paulo. Desde o dia 20 de outubro até hoje, segundo Silvia Toledo, gerente do Centro Cultural do Alumínio, duas mil pessoas apreciaram a mostra.

No início de 2019, o projeto itinerante volta a circular pelo país até o mês de abril, passando pelas cidades de Pindamonhangaba (SP), Brasília (DF), Belém do Pará e São Luís (MA).

Durante a visita, tablets são disponibilizados e o visitante pode ler a respeito de cada item que leva alumínio em sua composição. Antes de o visitante entrar na Casa, também assiste um vídeo que mostra as etapas da produção do alumínio. “É importante que as pessoas compreendam e saibam de onde vem cada objeto que já é tão comum no cotidiano delas”, destaca Silvia.

Leia mais  Em tempos de pandemia, como limpar estofados com eficiência?

Além dos móveis, objetos de decoração e materiais construtivos, na Casa há também embalagens que são feitas de alumínio, como as capsulas de café e as caixas longa vida. O esqueleto de um carro integra a exposição, mostrando em quais locais há utilização do derivado da bauxita.

Em cada detalhe do dia a dia
Os objetos expostos comprovam a versatilidade e a beleza desse material. Crédito da foto: Fábio Rogério

 

Iniciativa

O projeto da “Casa do Alumínio – uma experiência de arquitetura arte, e design” é uma realização do Ministério da Cultura, por meio da Lei Rouanet, e da Quattro Projetos, com chancela da Associação Brasileira do Alumínio (ABAL). Além da CBA, a Alcoa, Hydro e Novelis também patrocinam a exposição. O projeto conta com o apoio de alguma empresas que cederam serviços e materiais para execução e montagem da cenografia, como a Cebrace, Nespresso, Maxion Wheels, Renault, Screenline e Truckvan.

Comentários