Casa e Acabamento

Colorindo com bom gosto!

A escolha da cor do ambiente é um desafio, pois será um dos elementos que tornarão o projeto personalizado
Colorindo com bom gosto!
Cores quentes devem se somar a cores neutras (mesmo que numa pequena faixa, no rodameio) para que o conjunto não “grite”, não salte aos olhos. Crédito da foto: Reprodução da Internet

A escolha da cor que integrará o ambiente é um desafio importante, pois será um dos principais elementos que tornarão o projeto personalizado, oferecendo a sensação e energia desejada. Fomos buscar dicas com a Telhanorte, uma loja multiespecialista em construção e reforma, para a identificação correta da cor que valorizará o espaço.

Leia mais  Arquitetura & decoração reúne seus melhores profissionais

 

A localização, cenário e contexto do ambiente são aspectos que devem ser avaliados antes da escolha da tonalidade. “Em um espaço de praia, por exemplo, sugiro a utilização de tons verde, azul e areia, que remetem à própria paisagem do litoral, promovendo a integração entre os elementos internos com os externos. É claro que existem tendências, que nos trazem inspirações.

Porém, para quem tem a preocupação com o tempo passar e a pintura cair em desuso, ter inspiração do entorno, seja uma praia, um campo ou uma metrópole, com certeza criará um ambiente atemporal”, destaca Bruna Caldana, arquiteta e projetista da Telhanorte Conceito.

Mais do que a escolha da cor, saber equilibrá-las é um desafio ainda maior, que requer criatividade para transmitir a sensação desejada. “Para equilibrar as cores é preciso elencar tons neutros como o cinza, o off white, e harmonizá-los com tons vibrantes, como o living coral, eleito pela Pantone como a cor do ano, por exemplo. As cores transmitem sensações quentes e frias. Pensar nisso ajuda no equilíbrio do ambiente. As tonalidades derivadas do laranja, por exemplo, “aquecem”, conferem aconchego e energia, e o cinza, por ser um tom frio, harmoniza o espaço”, complementa a especialista.

Colorindo com bom gosto!
Crédito da foto: Reprodução da Internet

Outro ponto importante que deve ser analisado é em relação ao projeto de iluminação do ambiente. “É possível afirmar que as cores mudam de ‘comportamento’ de acordo com a iluminação. Trata-se do fato das lâmpadas brancas realçarem as tonalidades. A versão amarela, por sua vez, intensifica e aquece as cores, deixando-as mais vivas e com uma energia mais forte”, reforça Bruna.

Por fim, é indicado ainda se inspirar nas ferramentas que os lojistas e fabricantes oferecem no momento da escolha ou pesquisa pela cor ideal para o projeto. “Uma dica é consultar vários mostruários, pois as cores variam muito dependendo da marca da tinta e da iluminação onde será aplicada, como destacado anteriormente. Nas lojas de Home Center (grandes lojas dedicadas à construção, decoração e acabamento), há espaços dedicados somente à categoria de tintas, com possibilidades de testes de aplicação e variações de acordo com a iluminação. Estes testes são referenciais interessantes que podem auxiliar o consumidor na escolha”, finaliza a arquiteta. (Da Redação)

Comentários

CLASSICRUZEIRO