Agronegócio Brasil

Caprino leiteiro: vale quanto produz!

No ramo de cabra leiteira, manter contas na ponta do lápis é fundamental para evitar prejuízos
Caprino leiteiro: vale quanto produz!
Animais de genética melhorada e eficiência leiteira têm a capacidade de converter bons alimentos em leite e se tornarem economicamente viáveis. Crédito da foto: Divulgação

A cabra é um dos animais produtores de leite com capacidade produtiva superior a muitas outras espécies com as mesmas características, inclusive levando em conta seu peso corporal e produção diária. É um animal seletivo na escolha dos seus alimentos, que busca sempre folhas tenras e nutritivas para sua subsistência e também para a produção de leite aos filhotes.

Por conta disso é capaz de andar distâncias longas para conseguir o que precisa. Muito ativa e perspicaz, não come tudo que vê, seleciona sempre tudo de bom e do melhor para se alimentar, sendo esse mais um dos motivos pelo qual consegue produzir um leite com diferencial.

Nos sistemas modernos de criação de cabras, uma das maiores preocupações é que, além de se ter uma boa genética para produção do leite, também é preciso se preocupar com o manejo, oferecendo alimentos de qualidade e balanceados. A boa alimentação ajuda a suprir as necessidades corporais, de produção e reprodução dentro de um ambiente confortável, sem stress e no qual o bem estar animal deva sempre estar em primeiro lugar.

Animais de genética melhorada e eficiência leiteira têm a capacidade de converter bons alimentos em leite e se tornarem economicamente viáveis, alem de ter em sua força genética o poder de transmissão dessas mesmas características de produção aos seus descendentes. Quando se avalia o preço de compra ou venda de um animal leiteiro, não se deve levar em conta só o preço que o animal vale no mercado. Devemos sempre ter em mente algumas considerações básicas que podem fazer toda a diferença. Abaixo descrevemos alguns deles para análise:

– Animais com persistência leiteira superior (quantidade de dias em lactação): tem que ser o mais longo possível e com volume constante. Sabemos que quando um animal acaba de parir, tem início o seu ciclo de lactação. Seu pico de produção será de 90 dias com tendência a manter, ou vir a diminuir o volume, até parar de produzir em 305 dias e depois secar se reparando para o próximo ciclo.

Leia mais  Julgamento sobre armas é suspenso

– Longevidade (com uma vida útil produtiva e reprodutiva) que deve ser preservada e buscada. Idade ao primeiro parto: quanto antes parir dentro dos padrões mínimos necessários, será melhor, pois, já começa a produzir leite logo, gerando receita.

– A capacidade de conversão alimentar: essa característica do caprino leiteiro em produzir leite é o que faz a diferença na atividade. Um caprino chega a produzir por dia quase 10% do seu peso corporal em leite. Um animal adulto com 70 kg chega a produzir de 6 a 8 litros de leite por dia.

Alguns números para avaliarmos o preço de quanto pode valer uma boa cabra:

– Preço do leite pago ao produtor na fazenda e resfriado: R$ 2,20;
– Preço da fêmea: cria nascida, desmamada PO, filha de cabras de alta produção valem de R$ 1 mil a R$ 1,3 mil;
– Animal parido na sua primeira cria tem sua produção estimada, em média, 3 litros/dia, com previsão de lactação de 1000 Kg em 305 dias;
– Em um ano ela gera receita de R$ 2,2 mil em leite e seu filhote (fêmea), R$ 1 mil;
– Total: R$ 3,2 mil, com receita acima do preço de compra de um bom animal. Portanto, em uma lactação a cabra se paga.

Leia mais  Coronavac é eficaz contra variante P1, indica estudo realizado em Manaus

Podemos ainda levar em conta que, no decorrer de sua vida produtiva e reprodutiva que é de aproximadamente 10 anos, a cabra pode nos deixar por volta 10 mil litros de leite e pelo menos oito fêmeas e um macho (reprodutor).

Cabra de tostão, bode de milhão. O bode deve ser sempre o melhor.

A qualidade do reprodutor é fundamental no plantel, pois buscamos filhotes de cabras leiteiras superiores às suas mães e o bode pode ter influência diretamente nisso. No momento da compra, por mais caro que ele possa parecer, tem-se a relação custo/benefício, pois é o bode que irá imprimir o seu melhoramento genético e o número de fêmeas que estará atendendo no plantel.

Um bom bode deve ter bons aprumos; comprimento; profundidade corporal; abertura de peito e ser registrado Puro de Origem (PO) para dar identidade aos seus filhos. O reprodutor deve ainda ser bem manejado em monta controlada, em sua baia no Bodario, onde receberá as cabras no cio para serem cobertas.

Leia mais  1,5 milhão ainda não voltou para tomar 2ª dose da vacina contra a Covid

Dessa forma ele consegue fazer muitas coberturas em um único dia e por um bom período de sua vida reprodutiva (10 anos), o que mostrará se o animal, mesmo tendo custado caro, terá seu preço absorvido pelo numero de filhos e filhas que deixará no plantel. Só a partir daí é possível verificar se o preço pago foi um preço justo.

Vale lembrar: os valores aqui apresentados são uma referência e podem sofrer alterações de acordo com a época do ano, raça escolhida para compor o plantel, volume de leite produzido e região em que o produto é vendido. Para chegar a um valor personalizado para o SEU criatório, basta seguir o passo a passo apresentado neste artigo, ajustando os números à sua realidade.

Fonte: Pedro Paulo Vasconcellos Leite (criador e proprietário do Capril Caprivama, em Alfenas/MG)

Comentários