Sorocaba e Região

ZF demite mais de 100 funcionários por suposto uso de atestados falsos

Empresa alega que recebeu quase quatro mil atestados médicos do mesmo profissional
Demissões ocorreram na unidade da ZF em Sorocaba. Crédito da foto: Emídio Marques/Jornal Cruzeiro do Sul

Mais de 100 funcionários da empresa ZF do Brasil, que atua no ramo automotivo, com sede em Sorocaba, foram demitidos por justa causa na manhã desta quinta-feira (11). A empresa alega que, nos últimos 18 meses, entre 2018 e 2019, recebeu quase quatro mil atestados médicos do mesmo profissional para mais de uma centena de empregados como abono de faltas.

As dispensas também estariam ocorrendo em outras indústrias de cidade, em menor escala, pelo uso dos atestados. A emissão dos supostos atestados médicos falsos seria feita por uma clínica da cidade denunciada pela TV TEM, todos expedidos por um mesmo médico, que realizava em seus pacientes o tratamento de acupuntura.

O presidente da Associação dos Trabalhadores Lesionados (ATL) de Sorocaba, Sérgio Cândido Teixeira, declarou que os funcionários que passavam por tratamento na clínica foram direcionados ao local pela própria empresa, já que a ZF possuía um convênio com a clínica onde o médico atendia. Os problemas de saúde dos funcionários seriam causados pelo trabalho, como queixas relacionadas à ortopedia.

Segundo Sérgio, todos os trabalhadores desligados da empresa eram ativos, isto é, não estavam afastados pelo Instituto Nacional do Seguro Social (INSS). “Desconheço que os funcionários tenham agido de má fé. A gente não visa dinheiro, mas sim o bem estar do trabalhador”, disse o presidente da associação. Logo após a denúncia da emissora, a clínica onde o médico realizava atendimento foi encontrada fechada.

Leia mais  Toyota encerrará terceiro turno e demitirá 740 em Sorocaba e 100 em Porto Feliz

 

Douglas Moreira Salton, 43 anos, é um dos trabalhadores da empresa que foi desligado nesta manhã. Funcionário da ZF há 21 anos, declara que fazia tratamento na clínica apontada por emitir os atestados desde 2015. “Jamais íamos adivinhar que ele [médico] estava fazendo alguma coisa errada”, contou o assistente de logística.

Em 2007, Douglas sofreu um acidente de trabalho na empresa, quando foi atropelado por uma empilhadeira, machucou o pé, e precisou ficar afastado do trabalho por oito meses. De acordo com o ex-funcionário, assim que voltou à empresa, foi demitido, mas recorreu da decisão judicialmente e foi reintegrado.

A ZF do Brasil informou, por meio de nota, que procurou o Ministério Público, na sexta-feira (5), e solicitou a apuração dos fatos. O Sindicato dos Metalúrgicos informou que tomou conhecimento das demissões da ZF e em pelo menos mais uma empresa, e que fará as orientações cabíveis aos funcionários da categoria.

O jornal Cruzeiro do Sul questionou a ZF sobre o número exato de funcionários que foram desligados da empresa, possíveis demissões futuras e o preenchimento dessas vagas, mas a empresa declarou que não irá se pronunciar em relação a essas questões. (Aline Albuquerque)

Comentários

CLASSICRUZEIRO