Sorocaba e Região

Vagas do Mais Médicos em Sorocaba são preenchidas

Profissionais devem começar a atender em UBSs da cidade em até uma semana
Três médicos cubanos atuavam na UBS Ulysses Guimarães. Foto: Emídio Marques

Daqui uma semana 20 novos médicos devem passar a atender na Unidades Básicas de Saúde de Sorocaba (UBS) pelo programa Mais Médicos. Segundo a Secretaria da Saúde (SES), as 20 vagas disponibilizadas para o município já foram preenchidas por ordem de chegada através do site do Ministério da Saúde. O prazo para que estes profissionais já estejam atendendo na cidade é de 3 a 7 de dezembro. Em todo o Brasil o prazo de inscrição segue até o dia 7 e os médicos devem iniciar o trabalho até o dia 14.

Ao todo 18 médicos cubanos integravam a equipe do programa Mais Médicos na cidade, mas após o anúncio do fim do contrato de parceria entre Brasil e Cuba os profissionais deixaram as UBSs. Segundo a SES, os profissionais atuavam nas seguintes unidades: Habiteto (dois médicos), Paineiras (dois), Vitória Régia Ulisses Guimarães (três), Barão (dois), Nova Esperança (dois), Jardim Rodrigo (dois), Parque São Bento (um), Wanel Ville (dois), Brigadeiro Tobias (um) e Cajuru (um).

A UBS Ulisses Guimarães, no Parque Vitória Régia, é a que mais contava com o trabalho dos médicos estrangeiros e atende aproximadamente 20 mil habitantes. Esta unidade, segundo a SES, está aguardando a reposição de dois médicos do programa Mais Médicos. Pacientes lamentam a saída dos profissionais e temem mais demora no atendimento.

Brasil

O Ministério da Saúde informou que até a noite de domingo, 96,6% das mais de 8 mil vagas já foram preenchidas. Segundo o órgão, o site está estável e as inscrições seguem até 7 de dezembro. A apresentação dos profissionais aos municípios deve ocorrer até o dia 14 de dezembro. O levantamento mais recente divulgado pelo órgão federal aponta que até as 17h de domingo havia 29.780 inscritos com registro do Conselho Regional de Medicina (CRM) no Brasil, dos quais 20.767 foram efetivadas e 8.230 profissionais já estão alocados no município para atuação imediata.

Na apresentação ao município, o médico deve entregar todos os documentos exigidos no edital. Até domingo, segundo o Ministério da Saúde, 40 médicos tinham se apresentaram nas unidades básicas de saúde. (Com informações da Agência Brasil)

Pacientes relatam dificuldade em UBS

Cristiane e a filha Nathaly: espera de até três meses para consulta. Foto: Emídio Marques

Cristine de Araújo, 39, conta que é difícil agendar consultas na UBS Ulisses Guimarães, que, segundo ela, cada vez perde mais médicos. “Antes tinham vários atendendo, mas agora está muito difícil para marcar consulta. Eles distribuem a senha e tem que dar sorte para conseguir”, afirma. Ela conta que atualmente aguarda de dois a três meses para conseguir passar com médico. “Hoje abriu agenda, mas não consegui pegar senha novamente. Tenho exames prontos há quatro meses e não consegui mostrar para o médico”, reclama. A SES afirma que a “unidade está funcionando normalmente e nesta segunda-feira (ontem) ofertou 140 vagas para consultas médicas a serem realizadas na primeira semana de dezembro”.

Mãe da pequena Nathaly de Araújo, 3, e também de um menino de dez anos com paralisia cerebral, Cristine também teme que com a saída dos médicos estrangeiros o filho especial fique sem atendimento. “Antes uma médica cubana ia até nossa casa para examinar, mas agora não sei como ficará.” Para a filha mais nova ela conta que também encontra dificuldade para agendar consulta com pediatra e ontem estava na unidade tentando um encaixe, já que os exames da menina, analisados previamente por uma enfermeira da unidade, apontaram uma infecção.

Márcia, com a filha, Maria: o atendimento é bom, mas demora. Foto: Emídio Marques

A doméstica Márcia Moraes, 32, também estava ontem na UBS Ulisses Guimarães para que a filha Maria Luiza Moreas, 3, fosse atendida por um pediatra. Ela conta que quando a unidade contava com mais médicos, entre eles os cubanos, os atendimentos eram mais rápidos e até em casos de urgência e emergência leva a filha na unidade e sempre conseguia encaixe. “O atendimento aqui é bom, mas as vezes demoramos para conseguir uma consulta”, afirma.

Segundo a SES, para evitar prejuízo aos pacientes, todo o corpo clínico da pasta está sendo remanejado para as UBSs que contavam com médicos cubanos. “Esse processo de substituição se dará até que seja cumprida a contratação dos novos médicos, conforme edital do Ministério da Saúde”, informou por meio de nota.

Comentários