Sorocaba e Região

Uma paixão nacional rica em criatividade, sabores e variedades

São vários os recheios e motivos que fazem muita gente se reunir em torno de uma pizza

Todo dia é dia de comer pizza. Ela é ingrediente central em eventos, festas, comemorações e forte concorrente de outros cardápios da rica culinária brasileira. Por tradição e merecimento, ela também tem o seu dia, o Dia da Pizza, comemorado nesta quarta-feira (10).

Se pensar em pizza faz abrir sorrisos, desperta a imaginação vinculada aos sabores, resgata a memória de momentos inesquecíveis com a família e os amigos, comer pizza é melhor ainda. É esse conjunto de coisas boas que reuniu três casais na última sexta-feira, numa pizzaria do Éden.

Crédito da foto: Fábio Rogério

“Pizza pra mim é vida, eu só não como pizza todo dia porque não posso”, disse o comprador Vinícius Santos, de 35 anos, referindo-se à restrição por conta das calorias desse cardápio. Sua esposa, a analista de comércio exterior Paola Pereira, de 33 anos, também adora pizza e a justificativa é direta: “Porque o recheio vai ser sempre diferente, pela variedade.” Ela disse que já morou no exterior e há lugares em que o recheio tem pouca variedade na comparação com o Brasil, onde é amplo o leque de criatividade e diversificação para todos os gostos.

Com eles, na mesma mesa, estavam também a empresária Noelia Fernandes da Costa, de 63 anos, e o seu marido, o eletricista Antonio Carlos Fernandes, de 57 anos, que também se declararam apaixonados pela pizza. “A pizza para mim é o momento de reunir alguns amigos, porque todo mundo gosta”, declarou Noelia. Fernandes preferiu falar sobre as pizzas de que mais gosta, suas preferidas: picanha fatiada e carne seca com cebola.

A artesã Analice Oliveira, de 41 anos, elegeu a pizza como tema da festa do seu aniversário este ano. Foi ideia do marido, o técnico em eletrônica Emerson dos Santos, de 45 anos, a quem ela agradece. “Cada convidado ia lá e montava a sua pizza”, descreveu Analice. “Porque pizza é maravilhosa, é prazeroso comer pizza”, ela completou. E ele cravou: “Paixão nacional.” (Carlos Araújo)

Comentários