Sorocaba e Região

Tarifa de energia terá redução de até 11,28% em Sorocaba e região

Aneel revisou a tarifa cobrada nas cidades atendidas pela CPFL Piratininga
A redução valerá para Sorocaba e mais 14 cidades atendidas pela CPFL Piratininga. Crédito da foto: Emídio Marques / Arquivo JCS

A tarifa de energia elétrica terá uma redução de até 11,28% em Sorocaba e mais 14 cidades da região atendidas pela CPFL Piratininga. A medida foi aprovada pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) e passou a valer na quarta-feira (23).

Conforme a CPFL Piratininga, haverá uma diminuição de 1,77% para os consumidores ligados à alta tensão (indústrias e grandes comércios) e de 11,28% para os de baixa tensão (residências e pequenos comércios).

Além de Sorocaba, serão afetados as seguintes cidades da região: Alumínio, Araçariguama, Araçoiaba da Serra, Boituva, Capela do Alto, Ibiúna, Iperó, Itu, Mairinque, Porto Feliz, Salto, Salto de Pirapora, São Roque e Votorantim.

Para o cálculo das tarifas, a Aneel considera a atualização de custos com a compra de energia, com sistema de transmissão e com a distribuição da energia elétrica, assim como com os encargos setoriais, conforme regras estabelecidas para o setor.

Segundo a CFPL, a agência também levou em conta investimentos realizados pela distribuidora desde 2015 e ganhos de eficiência na operação, que trouxeram um efeito positivo para a revisão da tarifa.

Compra de energia

Neste ano, o principal fator que levou ao resultado final da revisão tarifária foi a redução dos encargos setoriais, causada pelo pagamento antecipado junto a bancos de uma dívida antiga de todo o setor elétrico, referente à compra de energia de usinas termelétricas em 2012 e 2013, período de grande seca nos reservatórios das principais hidrelétricas do país.

Como a geração térmica é mais cara, a necessidade de adquirir energia produzida nesses empreendimentos causou um desequilíbrio no mercado que, para ser solucionado, exigiu a negociação de um empréstimo com instituições financeiras.

Em 2019, as empresas do segmento, junto aos órgãos reguladores, conseguiram negociar a quitação dos valores antes do previsto, o que vai levar a uma retirada de R$ 8,4 bilhões das contas de luz de todos os brasileiros até 2020.

Comentários