fbpx
Sorocaba e Região

Suspeita de atestado falso motiva mais demissões de trabalhadores na cidade

A emissão dos supostos atestados falsos seria feita por uma clínica de Sorocaba
Supostos atestados médicos falsos motivaram demissões. Crédito da foto: Marcello Casal Jr. / Arquivo Agência Brasil

Depois das empresas ZF, Bosch e CNH terem demitido mais de 250 trabalhadores na semana passada por justa causa por suspeita de apresentação de atestados médicos falsos, mais uma empresa da cidade, também do setor automotivo, teria feito demissões. Segundo a Associação dos Trabalhadores Lesionados de Sorocaba (ATL), o Grupo Schaeffler teria demitido cerca de 120 funcionários pelo mesmo motivo.

A ATL nega a apresentação de atestados médicos falsos pelos trabalhadores e afirma que os dispensados possuem sequelas por conta de acidentes de trabalho ou doenças ocupacionais. O Cruzeiro do Sul entrou em contato com o Grupo Schaeffler, por telefone, mas a empresa disse que prefere não se manifestar sobre o caso no momento.

Na manhã desta sexta-feira (19), parte dos funcionários demitidos da empresa estiveram reunidos com representantes da ATL, na sede da entidade. Durante o encontro, os trabalhadores disseram que até quinta-feira (18) entre 100 a 120 pessoas teriam sido demitidas. Segundo o vice-presidente da ATL, Denilson Francisco de Oliveira, os demitidos relataram que chegavam à empresa para trabalhar e eram chamados em uma sala, onde eram questionados sobre os supostos atestados médicos falsos e teriam sido obrigados a assinar um documento. Em seguida eles eram comunicados da dispensa por justa causa.

A emissão dos supostos atestados falsos seria feita por uma clínica de Sorocaba, que foi mostrada em matéria veiculada no programa “Fantástico”, da Rede Globo, exibida no dia 23 de junho. A ATL e também o Sindicato dos Metalúrgicos de Sorocaba e Região (SMetal) alegam que o médico, que já fez parte do convênio mantido pelas empresas, não foi indiciado e nem representado no próprio órgão de classe formalmente. As entidades destacam ainda que as empresas não podem supor que os atestados são falsos, pois todos foram assinados por profissional devidamente matriculado no Conselho Regional de Medicina e os demitidos são pessoas com lesões e que estavam em tratamento.

Leia mais  Funcionários da Urbes protestam por melhorias na Câmara de Sorocaba

A Associação dos Trabalhadores Lesionados de Sorocaba (ATL) afirma que pretende acionar a Justiça para tentar reintegrar os trabalhadores demitidos por justa causa.

O Grupo Schaeffler não quis comentar o caso. Já as empresas ZF e Bosch afirmaram que foram prejudicadas. “A empresa destaca que a clínica que emitiu os atestados não é credenciada ao plano de saúde oferecido pela empresa desde outubro de 2016”, disse a ZF. A Bosch informou que também realizou o desligamento de funcionários que apresentaram atestados emitidos pela clínica alvo da reportagem televisiva. E a CNH disse que não vai se pronunciar sobre o caso. (Ana Cláudia Martins)

Comentários

CLASSICRUZEIRO