Covid-19 Sorocaba e Região

Sorocaba participará de estudo sobre medicamento contra a covid-19

Ministro Marcos Pontes participará do lançamento na Santa Casa e diz que ação envolverá 500 voluntários
Conforme o MCTI, a ação #500VoluntáriosJá estará disponível para atendimento na Santa Casa até a adesão de 500 voluntários. Crédito da foto: Vinícius Fonseca (15/5/2020)

Sorocaba é uma das cidades escolhidas para participar do estudo clínico com o medicamento nitazoxanida na eficácia contra o novo coronavírus. A ação foi batizada de #500VoluntáriosJÁ e será lançada oficialmente nesta sexta-feira (03), em uma parceria entre a Santa Casa de Misericórdia e o Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações (MCTI). Além de Sorocaba, a pesquisa será realizada também em Guarulhos, Barueri e Bauru. O ministro Marcos Pontes estará amanhã no hospital sorocabano para a solenidade de lançamento.

De acordo com o MCTI, utilizando inteligência artificial em testes com dois mil fármacos, o Centro Nacional de Pesquisa em Energia e Materiais (CNPEM) — organização social vinculada ao ministério — identificou cinco remédios com potencial para combater a replicação do novo coronavírus. Um deles, a nitazoxanida, reduziu em 94% a carga viral em células infectadas “in vitro”. Essas duas etapas da pesquisa científica deram suporte para o início dos estudos clínicos com pacientes, a última fase, que busca comprovar cientificamente a eficácia deste remédio no tratamento precoce da Covid-19.

Pontes já informou previamente que é preciso envolver 500 pacientes voluntários. Todos os participantes são testados para o coronavírus, recebem um kit com os medicamentos e são acompanhados pela equipe médica. Em seguida, os participantes devem retornar para serem testados novamente. “Queremos apresentar ao Brasil e ao mundo que este remédio identificado por pesquisadores brasileiros com recursos do governo federal é capaz de combater o vírus e salvar vidas”, afirmou.

O ministro destacou a importância dos voluntários e do cumprimento dos protocolos na íntegra, incluindo o retorno ao final do período de testes com o remédio. Crédito da foto: Emídio Marques / Arquivo JCS

Voluntários

O ministro destacou a importância dos voluntários e do cumprimento dos protocolos na íntegra, incluindo o retorno ao final do período de testes com o remédio. “A ideia é a pessoa ser testada com os sintomas iniciais, tomar o remédio e retornar para medir a carga viral novamente. É importante a gente ter esse resultado. Se a pessoa tomar o remédio, melhorar, mas não voltar, ela não estará ajudando milhões de brasileiros. Essa participação é extremamente importante para você, para sua família, comunidade e para o país. Esse resultado cientificamente comprovado vai nos ajudar muito”, pontuou.

O ministério divulgou que médicos garantem que o medicamento é seguro e tem efeitos colaterais mínimos. A intenção dos estudos é verificar se o vermífugo consegue inibir a replicação do vírus nos pacientes com a mesma eficácia que teve nos testes com células vivas infectadas.

Segundo o secretário de Políticas para Formação e Ações Estratégicas do MCTI, Marcelo Morales, que também estará em Sorocaba, o alvo da iniciativa são pessoas com síndrome gripal, como febre, fadiga e tosse, ou já com confirmação da Covid-19. Essas pessoas devem aceitar participar voluntariamente do estudo clínico aprovado pela Comissão Nacional de Ética em Pesquisa (Conep). “Você fará o teste diagnóstico RT-PCR e será acompanhado por oito dias pela equipe especializada, conforme protocolo”, explicou.

Solenidade na Santa Casa

Devem participar da solenidade de lançamento na Santa Casa de Sorocaba, às 10h, além do ministro e do secretário, representantes do hospital e da Prefeitura. A ação já aconteceu na quarta-feira no Centro de Especialidades Odontológicas de Guarulhos; hoje, em Barueri, no Hospital Municipal. Na segunda-feira será a vez de Bauru, no Núcleo de Saúde Geisel Newton Bohin Ribeiro, lançar oficialmente o estudo.

Conforme o MCTI, a ação #500VoluntáriosJá estará disponível para atendimento na Santa Casa até a adesão de 500 voluntários. O teste é gratuito e é obrigatório o uso de máscaras para triagem e cadastro no estudo.

Comentários