Sorocaba e Região

Sorocaba investiga três mortes por suspeita de dengue

Segundo boletim divulgado, Sorocaba teve 153 novos casos confirmados de dengue em uma semana
Sorocaba registra 117 casos de dengue em uma semana
Mosquito Aedes aegypti é o transmissor da dengue. Crédito da foto: Divulgação

Sorocaba está investigando três mortes por suspeita de dengue. A informação é da Prefeitura de Sorocaba, que divulgou no fim da manhã desta quarta-feira (25) o boletim epidemiológico com a atualização dos casos da doença na cidade.

Segundo o boletim, Sorocaba teve 153 novos casos confirmados de dengue em uma semana, chegando a 913 no total, o que representa um aumento no período de 20,13%.

Conforme o boletim anterior, divulgado no último dia 17, a cidade estava com 760 casos confirmados da doença e agora o total é de 913. Além disso, do total atual foram confirmados ainda quatro casos de dengue com o sorotipo DENV2, que é uma categoria mais agressiva da doença.

Questionada sobre os três óbitos suspeitos de dengue, que estão sendo investigados, a Secretaria da Saúde (SES) disse que foram colhidos exames, e que eles foram enviados para o Instituto Adolfo Lutz, em São Paulo, e a pasta municipal aguarda o resultado.

Conforme a SES, só o resultado dos exames irá comprovar se as mortes foram mesmo por dengue e qual o sorotipo, ou por outra doença.
A SES, até o momento, não divulgou mais informações sobre os três óbitos que estão sendo investigados por dengue.

Leia mais  Estado de SP tem 6.220 mortes por covid-19 e isolamento vai a 55%

Ainda de acordo com a SES, dos atuais 913 casos de dengue confirmados na cidade, 810 são autóctones, 83 importados e 20 indeterminados.

A SES informa também que as regiões com maior número de casos ficam na área de abrangência das Unidades Básicas de Saúde (UBSs) dos bairros Jardim Rodrigo, Parque São Bento e Wanel Ville.

Além disso, o boletim trouxe ainda dados atualizados sobre as demais doenças causadas pelo mosquito Aedes aegypti. Até o momento, Sorocaba confirmou oito casos de chikungunya, sendo seis autóctones e dois importados; e nenhum caso de zika e nem de febre amarela foi registrado.

O secretário da Saúde, Ademir Watanabe, destaca que além do novo coronavírus, a população precisa também se conscientizar sobre a dengue. “As pessoas que estão em isolamento social, precisam aproveitar esse momento para fiscalizar suas casas e eliminar os criadouros do mosquito”, orienta.

Comentários