Sorocaba e Região

Servidores rejeitam propostas apresentadas pela Educação

Novo secretário e funcionários da secretaria participaram de audiência pública na Câmara



Funcionários municipais participam da audiência pública. Foto: Erick Pinheiro

Servidores da rede municipal de ensino de Sorocaba, reunidos na noite desta terça-feira (11) em audiência pública na Câmara, rejeitaram as propostas anunciadas para o setor pelo novo secretário da Educação, André Gomes, e que ele relacionou em três itens: gestão compartilhada com Organizações Sociais (OSs) nas escolas, adoção de novo sistema de ensino baseada em apostilas do sistema de ensino do Sesi e nova política de manutenção das escolas.

Em clima tenso, com cobranças diretas ao secretário sobre vários itens de carências nas escolas do município, os servidores embasaram suas críticas com afirmações de que a gestão compartilhada é um plano decidido sem a participação de diretores, professores, funcionários e pessoal de suporte pedagógico.

Leia mais  Escolas municipais de Sorocaba terão gestão compartilhada em 2019

 

Discordaram do método das apostilas do Sesi por entenderem que a realidade das escolas municipais é outra e se queixaram de que o problema atual grave se concentra em falta de professores, lotação de salas de aula, falta até de papel higiênico e outros materiais, decepção com as promessas da administração, desânimo e cansaço. E consideraram que a manutenção da escolas é obrigação do município.

Em resposta, André Gomes, quando indagado sobre qual será a solução para a falta de professores, apresentou a gestão compartilhada como saída. “Vamos atender a todas as demandas que sejam possível”, disse, acrescentando que todas as questões serão discutidas em reuniões com educadores a partir da semana que vem: “Construiremos todas as saídas possíveis.” Quando cobrado sobre problemas pontuais nas escolas, Gomes afirmou: “Questões pontuais serão tratadas de maneira pontual, num ambiente silencioso.”

Os presidentes do Sindicato dos Servidores Municipais, Salatiel Hergesel, do Conselho Municipal de Educação, Alexandre da Silva Simões, e as vereadoras Iara Bernardi (PT) e Fernanda Garcia (Psol), fizeram discursos de apoio aos servidores da Educação e dirigiram cobranças ao secretário. O secretário de Recursos Humanos, Osmar Thibes, participou da audiência. Juntamente com Iara, o vereador José Francisco Martinez (PSDB) presidiu parte da sessão.

Em vários momentos, as falas dos secretários André Gomes e Osmar Thibes foram entrecortadas por vaias e contestações de informações dadas por eles. As vagas destinadas ao público na Câmara, com 150 lugares em média, estavam todas ocupadas, além de pessoas em pé na porta de entrada do plenário e no corredor, mais a ocupação das cadeiras dos 20 vereadores.

Comentários

CLASSICRUZEIRO