Covid-19 Sorocaba e Região

Servidores reclamam da falta de testagens na Prefeitura

Mesmo com vários casos em alguns locais de trabalho, não há a chamada testagem em massa
Câmara Municipal de Sorocaba realizou 190 novos testes para a Covid-19 em dezembro. Crédito da foto: Divulgação / Câmara de Sorocaba

Profissionais que atuam em vários setores da Prefeitura de Sorocaba têm reclamado da suposta forma distinta que estariam sendo tratados frente a pandemia do novo coranavírus no que diz respeito às testagens. Segundo eles, mesmo com vários casos em alguns locais de trabalho, não há a chamada testagem em massa, quando todo o setor faz o teste. Esse comportamento seria diferente quando se trata da Câmara de Sorocaba. O Executivo sorocabano negou a situação.

Foram várias as queixas relatadas ao jornal Cruzeiro do Sul. “Não sei se configura surto, mas já são quatro positivos em menos de 30 dias. Um deles está em estado grave na UTI, e um quinto caso que colheu exame e está aguardando resultado, que por sinal demora muito para sair”, reclama um profissional. “Cada vez que um colega testa positivo, esperam 21 dias para testar os outros colegas, nesse momento mais gente pode estar contaminada e não sabe”, reclama sobre a demora.

Leia mais  Homem é detido por descumprir medida protetiva em Sorocaba

Enquanto isso, na Câmara de Sorocaba, conforme alega os servidores da Prefeitura, a situação seria diferente. Lá, já foram realizadas três testagens em massa somente no ano passado. Na primeira, em agosto, com 203 pessoas. Desse total, 13 testes deram positivos.

O custo total foi de R$ 28.620,00. Em 8 de setembro nova testagem aplicada pela Vigilância Epidemiológica da Prefeitura Municipal, com 204 pessoas. Foram identificados oito casos positivos. Em 14 de dezembro o terceira testagem, também aplicada pela Vigilância Epidemiológica da Prefeitura Municipal. Nesse caso, 190 pessoas foram testadas e nenhum caso deu positivo.

“Então, esse tipo de discrepância é absurda. Em muitas unidades da educação, que tiveram pessoas contaminadas, sequer foi feito um teste em servidores que tiveram contato com contaminados. Este tratamento desigual é absurdo”, reclama outro servidor. Todos os trabalhadores ouvidos pela reportagem pediram para que seus nomes fossem preservados, o que foi atendido.

Leia mais  Escândalo de vacinas na Argentina, um golpe forte para Fernández

A Secretaria da Saúde (SES), por meio da Vigilância Epidemiológica Municipal, informou na semana passada que realizou duas ações de testagem na Câmara Municipal, devido ao surto no local. “Vale ressaltar que é protocolo comum a Vigilância Epidemiológica realizar testagem em locais que apresentem esses números, inclusive em setores da Prefeitura. Ou seja, não houve disparidade com essas testagens. Não gerou custo, pois foi um serviço prestado pelo SUS (Sistema Único de Saúde), com testes recebidos do Governo Estadual”, alega.

Na sexta-feira (22), a SES afirmou que todos os servidores municipais que tiveram contato próximo com casos confirmados no ambiente de trabalho são testados. “A testagem de um setor completo se faz na abertura de surto por Covid-19, em determinada secretaria ou setor. Todos os trabalhadores da saúde já foram testados, inclusive muitos já foram testados várias vezes”, exemplificou. (Marcel Scinocca)

Comentários