Sorocaba e Região

Serviços têm procura na volta do atendimento presencial em Sorocaba

Para viabilizar o atendimento ao público, servidores contratados por todas as secretarias voltaram a seus postos de trabalho
Munícipes procuram serviços na volta do atendimento presencial
Além dos equipamentos de proteção dos servidores, os setores passaram por adaptação para retomar o atendimento ao público. Crédito da foto: Fábio Rogério (3/6/2020)

A volta dos atendimentos presenciais nas repartições municipais de Sorocaba fez com que muitas pessoas procurassem os serviços nesta quarta-feira (3). No Posto de Atendimento ao Trabalhador (PAT), no Centro, somente até às 13h45, 67 pessoas estiveram no local em busca de vagas de trabalho e informações. Na sede do Serviço Autônomo de Água e Esgoto (Saae), uma fila de munícipes se formou na porta do local, com uma atendente passando as orientações sobre atendimento.

Para viabilizar o atendimento ao público, servidores contratados por todas as secretarias voltaram aos seus postos de trabalho presencial, com exceção de cerca de 850 que se autodeclararam como sendo do grupo de risco e seguem em trabalho remoto. Esses, terão que atualizar as informações até o dia 8 na Secretaria de Recursos Humanos (Serh). Na terça-feira, o Jornal Município de Sorocaba publicou uma instrução que regulamenta procedimentos e normas de segurança do trabalho.

Entre as medidas, além do uso obrigatório de máscaras de proteção respiratórias, foi instituído a quem atende diretamente ao público a obrigatoriedade do uso de protetor facial ou óculos de proteção; a demarcação de distanciamentos em filas e entre estações de trabalho; a alternância entre poltronas e fileiras em espaços de espera; a disponibilização de álcool em gel 70%; orientações sobre manter portas e janelas abertas, lavagem de mãos e higienização de superfícies de contato; entre outras.

Leia mais  Cartórios de notas realizam serviços por vídeoconferência em todo país

 

No Saae, a atendente que orientava os munícipes na entrada estava equipada com máscara e escudo facial, assim como todos os atendentes do PAT. No Paço, que concentra vários serviços, uma enfermeira recepcionava todos que chegavam e a temperatura corporal era medida com um termômetro de infravermelho. Em seguida, o munícipe passava pelo balcão de informações.

Às 14h, quando a reportagem do Cruzeiro do Sul esteve no local, era feita a troca de servidor nesse posto de informação e o que assumiu a função ainda montava o escudo para usá-lo. Segundo a Prefeitura, os servidores municipais que atuam no atendimento direto ao público receberam escudos de proteção mediante as solicitações das secretarias responsáveis.

Munícipes procuram serviços na volta do atendimento presencial
O secretário José Carlos Cuervo. Crédito da foto: Fábio Rogério (3/6/2020)

De acordo com o secretário de Administração, José Carlos Cuervo Junior, todos os servidores foram orientados sobre o uso correto dos Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) e os setores passaram por adaptação para retomar o atendimento ao público.

“Alguns setores estão atendendo com horário agendado, na Casa dos Cidadão e nas secretarias os atendimentos estão ocorrendo de acordo com o dígito final do munícipe. Hoje, os que vieram sem saber, nós atendemos, mas estamos orientando para evitar aglomerações”, disse o titular da pasta. Cerca de 200 pessoas foram atendidas ontem.

Conforme a organização feita pela Prefeitura, munícipes com CPF de final 1 e 2 podem ser atendidos às segundas; os de final 3 e 4 podem procurar atendimento de terça-feira. A quarta-feira fica destinada para pessoas com CPF final 5 e 6; na quinta para os de final 7 e 8 e na sexta-feira para munícipes com dígito final 9 e 0. O Banco do Povo e o Espaço Empreendedor estão funcionando somente com agendamento prévio, das 10h às 15h, pelo número (15) 3229-2372.

Volta esperada

Munícipes procuram serviços na volta do atendimento presencial
Vagner procurou o atendimento do PAT. Crédito da foto: Fábio Rogério (3/6/2020)

Nesta quarta-feira (3), com a reabertura do PAT, Vagner Roberto Leite Junior, 28, aproveitou para solicitar uma nova Carteira de Trabalho, pois a antiga já não tem mais espaço. Demitido no início da pandemia de uma empresa terceirizada, ele conta que durante a quarentena tem usado o aplicativo Sine Fácil para encontrar as vagas abertas na cidade. “Caso seja contratado, quero já ter a carteira nova. Tenho feito alguns bicos com aplicativo de delivery, mas estou em busca de uma recolocação”, conta o rapaz, que é casado e tem encontrado dificuldades para arcar com todas as contas.

Leia mais  Serviços bancários por celular são acessados por 65% dos brasileiros

 

Nelson Pereira Gomes, 66, acompanhou a esposa ontem até a Casa do Cidadão do Paço para tirar a segunda via do carnê do Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU). “A gente tá se cuidando, usando máscara, álcool em gel, mas algumas coisas precisam ser resolvidas pessoalmente”, disse. Ao ser informado sobre a possibilidade de solicitar a segunda via de forma online, o aposentado disse não ter conhecimento para usar smartphones e computadores.

Servidores relatam medo e insegurança

Uma funcionária do Paço, da pasta de Negócios Jurídicos, que não quis se identificar para não sofrer represálias, contou que a volta ao trabalho presencial trouxe um certo medo, mas é inevitável. “Todo mundo está nessa retomada e não tinha como os servidores seguirem trabalhando de casa, mas eu fico angustiada, como a maioria deve estar”, contou a moça, de 27 anos, que mora com a avó idosa. “O maior medo não é pela gente, mas pelas pessoas que são mais suscetíveis e a gente acaba vendo aqui no Paço muito idoso vindo sem necessidade”, relatou.

Já entre os profissionais de educação, a retomada presencial desagradou, pois as aulas seguem suspensas. Uma instrução normativa publicada pela Prefeitura de Sorocaba na noite de terça-feira determinou que os servidores do Centro de Referência em Educação (CRE) voltassem a cumprir jornada de trabalho integralmente presencial desde ontem. Já os servidores que atuam nas instituições educacionais estão cumprindo 20% de sua jornada semanal presencialmente e 80% de maneira remota. O documento explicou que cabe à direção de cada escola acompanhar o desempenho dos educadores por meio de relatórios semanais, assim como a organização das escalas de trabalho.

No Centro de Educação Infantil (CEI) 57, no bairro Júlio de Mesquita Filho, os professores e demais funcionários estão trabalhando presencialmente em escala, conforme o turno que normalmente cumpre. “Os servidores da educação, ao contrário do que muita gente pensa, estão trabalhando com altas demandas em casa, há pelo menos três semanas”, destacou uma educadora dessa unidade.

Leia mais  Prefeitura quer reavaliação de fase em Sorocaba para ampliar flexibilização

 

Alguns servidores da educação estiveram já ontem no CEI 103, no Jardim Maria Antônia Prado, mesmo sem a presença de alunos. “Nos organizamos para que não fiquem muitos funcionários na unidade ao mesmo tempo”, disse uma servidora da instituição.

Em um abaixo-assinado on-line, criado por Rafael Ramos Castellari , a categoria afirma que não há necessidade se expor os profissional ao coronavírus se todo o trabalho por ser feito remotamente, além de destacar que as aulas seguem suspensas. O documento, já assinado por 500 profissionais, pede ainda que a instrução normativa seja revisada.

Questionada sobre a situação, a Secretaria da Educação informou que atende à Portaria Municipal nº 22.951, de 29 de maio de 2020, que determinou o retorno dos servidores públicos ao trabalho presencial. “A proporção de 20% foi estabelecida, pois se trata de uma relação em que o servidor trabalha, na forma presencial, apenas um dia da semana.

Os demais dias da semana serão desenvolvidos na forma remota”, informou, em nota. Segundo a pasta, já está disponível “grande parte” dos equipamento de proteção individual e “a Secretaria de Administração (SEAD) estará providenciando o restante da compra para disponibilizar aos servidores neste momento de retorno gradual”. (Larissa Pessoa)

Comentários