Sorocaba e Região

Saúde incentiva o combate ao mosquito Aedes aegypti

Índice da Avaliação de Densidade Larvária (ADL) indica preocupação
Saúde incentiva o combate ao mosquito Aedes aegypti
Mosquito Aedes aegypti transmite dengue chikungunya, zika e febre amarela. Crédito da foto: Mauro Pimentel / AFP

A Prefeitura de Sorocaba, por meio da Secretaria de Saúde (SES), orienta sobre maneiras de se combater o mosquito Aedes aegypti, que também transmite a chikungunya, zika e febre amarela. Além disso, a Prefeitura pede a conscientização e a sensibilização da população, pois o trabalho diário da Zoonoses no extermínio desse vetor precisa também da colaboração dos cidadãos.

É importante manter as lixeiras tampadas com os sacos plásticos bem fechados. Os cidadãos devem guardar os pneus secos em local coberto. Garrafas, frascos, potes, latas vazias e baldes descartáveis devem ser colocados no lixo ou vazios e virados de boca para baixo igualmente em local coberto. Manter ralos com pouco uso fechados e com uma colher de detergente ou sabão em pó. Após cada chuva ou ao lavar o quintal, repetir esse tratamento.

Todos os pratos de vasos de plantas ou xaxins, dentro ou fora da casa, devem ser eliminados, pois acumulam água e são um dos criadouros mais frequentes do mosquito. No caso de bromélias ou outras plantas que possam acumular água, o indicado é plantar em local coberto e molhar somente a terra, pois esse tipo de planta acumula água e serve de criadouro para o Aedes aegypti.
Vasilhas de água para animais domésticos devem ser escovadas com bucha e sabão todos os dias e ter a água trocada, para eliminar possíveis ovos do mosquito.

Leia mais  Expandindo fronteiras

Além disso, as caixas d’água devem estar sempre tampadas e bem vedadas, além de não se esquecer de colocar tela no buraco dos ralos do “ladrão”, pois o mosquito pode entrar por ali e depositar seus ovos.

Para as bandejas de geladeiras, retirar sempre a água e escovar com água e sabão, deixando 1/4 de copo de detergente ou duas colheres de sabão em pó. Piscinas de grande e médio porte deverão ser tratadas com cloro em quantidade adequada para o tamanho. As piscinas para crianças deverão ser escovadas e ter sua água trocada a cada dois dias. Nas lajes, retire a água acumulada e providencie para que ela tenha um desnível em direção ao cano.

É importante verificar as calhas, se elas não estão entupidas. Para os vasos sanitários com pouco uso, coloque duas colheres de sopa de sabão em pó, repetindo entre tratamento após cada troca de água.

Para finalizar, os cuidados não devem ser somente na residência. É essencial ficar atento a possíveis focos de água parada na escola, no trabalho, nos vizinhos e em outros locais frequentados diariamente. A Divisão de Zoonoses divulgou o índice da Avaliação de Densidade Larvária (ADL). O resultado foi de 4,4%, que indica sinal de risco para infestação do mosquito Aedes aegypti. (Da Redação, com informações da Secom Sorocaba)

Comentários