Sorocaba e Região

Santa Casa prepara-se para assumir UPH Leste a partir do dia 15

Comissão de transição tem feito reuniões com o BOS, atual gestor, desde 22 de abril
UPH Zona Leste fica na rua Coronel Nogueira Padilha e atende 15 mil consultas médicas por mês, em média. Crédito da Foto: Emídio Marques

A Unidade Pré-Hospitalar (UPH) Zona Leste se prepara para a mudança de gestão, que deve ocorrer a partir do dia 15 deste mês. Uma comissão de transição, formada por representantes da Irmandade Santa Casa e do Banco de Olhos de Sorocaba (BOS), reúne-se desde o dia 22 de abril e deverá concluir os trabalhos no dia 10 deste mês.

Leia mais  Santa Casa de Sorocaba assumirá a gestão da UPH Zona Leste

 

O objetivo é que o planejamento possibilite a troca do comando da unidade sem a necessidade de fechamento do local, que continuará a operar no mesmo espaço, na rua Coronel Nogueira Padilha. Algumas novidades deverão compor o novo atendimento da UPH como, por exemplo, o fornecimento de alimentação aos internados.

O contrato da Prefeitura com o Banco de Olhos de Sorocaba (BOS) segue até o dia 15 deste mês, quando não será renovado, pois, de acordo com a administração municipal foram esgotadas as possibilidades legais de prorrogação. Com isso, a Irmandade Santa Casa de Sorocaba, que administra o hospital Santa Casa de Misericórdia de Sorocaba, assumirá a gestão da UPH Zona Leste, que atende 15 mil consultas médicas por mês, em média. De acordo com a Secretaria Municipal de Saúde (SES), o BOS cedeu para a Santa Casa, em comodato (empréstimo gratuito), o prédio — onde a UPH funciona desde 2013 — e equipamentos por 24 meses.

Segundo o gestor e presidente do Conselho de Administração da Irmandade Santa Casa de Sorocaba, padre Flávio Jorge Miguel Júnior, a comissão de transição é formada por funcionários do BOS e da Irmandade. Ele conta que o grupo elaborou um cronograma de reuniões e trabalhos até a conclusão da mudança de gestão. O padre afirma que está sendo realizado um estudo de como ficará o quadro de funcionários da unidade, mas a expectativa é manter parte dos que já estão na UPH. “A grande tendência é aproveitar o maior número de pessoas”, diz. O contrato da Prefeitura com a Irmandade será de R$ 2.347.000,00 por mês.

Para o padre Flávio, a experiência será um grande desafio, mas também positiva para a Irmandade. Ele aponta que a entidade terá o contato direto com a gestão dos pacientes que hoje já são enviados para a Santa Casa. O hospital recebe os pacientes por meio de encaminhamentos das UPHs. “Poderemos fazer a gestão das pessoas mais diretamente”, avalia.

Melhorias

Na UPH Zona Leste, na manhã desta quarta-feira (1º), os pacientes contavam estar aliviados com a continuidade do atendimento no local, mas cobram melhorias. A moradora da Vila Helena, Dirce Saturnino da Silva, 60 anos, conta que prefere se deslocar da zona norte até a leste, pois o atendimento na unidade é melhor. “É muito boa a UPH, não pode fechar”, avalia. Para Doroteia de Fátima dos Santos, 57 anos, a unidade é importante para a comunidade do entorno, mas é preciso agilizar o atendimento. “As pessoas que moram na redondeza dependem disso aqui”, afirma.

De acordo com o padre Flávio, haverá um esforço para diminuir o tempo de espera pelo atendimento, mas ele ponderou que há espera mesmo em pronto-atendimentos de planos de saúde particulares, especialmente em horários de pico. De acordo com o gestor, há na Irmandade “fiscalizadores” que monitoram o atendimento.

A unidade passará a contar com alimentação para aqueles que estiverem na internação

Patrícia Andreia da Silva Rosa, 36 anos, reclamava que a irmã de 37 anos estava em observação na unidade — desde a noite anterior, por volta das 19h — aguardando transferência para o Conjunto Hospitalar de Sorocaba (CHS), devido à suspeita de dengue e alterações em exames de rins e fígado. Contudo, até a manhã de ontem, não tinha recebido alimentação e não havia sido permitida a permanência de acompanhante.

De acordo com a SES, acompanhantes só são permitidos para crianças, idosos e deficientes. A secretaria afirma, ainda, que a paciente não é de Sorocaba, é de Votorantim, e aguarda vaga pela Secretaria do Estado de Saúde. A solicitação para transferência hospitalar teria sido feita às 5h38 da quarta-feira (1º).

O padre Flávio e a SES informam que a unidade passará a contar com alimentação para aqueles que estiverem na internação. Sobre o acompanhamento, o padre afirma que a Irmandade é favorável à presença de acompanhantes, devido aos benefícios psicológicos para os pacientes e que, em geral, prioriza a humanização do atendimento, porém, ressalta que por questões de saúde é preciso controlar a circulação e permanência de pessoas. “A linha da Santa Casa é da humanização a partir de Jesus Cristo”, conclui. (Priscila Fernandes)

Comentários