Sorocaba e Região

Rotary Club incentiva a vacinação contra a pólio

Campanha nacional também prevê a imunização contra o sarampo, no mesmo período. O “Dia D” será em 4 e 18 de agosto
Crianças de zero a cinco anos são o público-alvo da vacinação. Crédito da foto: UPI / Hossein Fatemi

Desde 1929 o Rotary Internacional atua na luta contra a poliomielite e, entre os dias 6 e 31 de agosto promoverá a campanha nacional de vacinação, que também prevê a imunização contra o sarampo. O “Dia D” da campanha, destaca o governador do Rotary Club Sorocaba, Valdir Paezani, desta vez será nos dias 4 e 18. A iniciativa, conta, é fundamental para conscientizar os pais sobre a importância da vacinação, que vem caindo anualmente e trazendo riscos de uma doença erradicada voltar a fazer vítimas.

Paezani informa que as ações da campanha pelo Brasil todo estão se intensificando, já que o país, livre da poliomielite desde 1990, registrou baixa adesão à vacina em 2017 e neste ano, com um índice bem abaixo da meta de 95% de cobertura vacinal. “Um dos nossos principais desafios é conseguir fazer com que todas as crianças aqui deste Distrito tomem a vacina”, destacou. Paezani afirma que muitos pais não compreendem a necessidade da imunização porque não tiveram contato com a doença. “Quem ama, vacina, protege”, afirma.

Leia mais  Nova etapa de programa habitacional prevê 248 unidades em Sorocaba

Conscientização

Por muitos anos o Rotary Internacional foi o responsável pelo fornecimento da vacina no Brasil. Atualmente a responsabilidade da distribuição é do governo federal, mas a entidade continua realizando o trabalho de conscientização sobre a poliomielite. Paezani destaca que o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) prevê punições para os pais que não vacinam os seus filhos, podendo perder a guarda deles, temporariamente ou definitivamente.

Paezani defende também que o poder público atue de forma mais efetiva no controle da doença, tornando obrigatória a atualização da carteira de vacinação anualmente. “Se as escolas tornassem a vacinação em dia uma obrigação para que o aluno frequente as aulas também seria uma forma de incentivar”, defende Paezani.

Para conseguir tais mudanças, representantes dos distritos do Rotary estão visitando autoridades públicas e as secretarias de Saúde, assim como as Unidades Básicas de Saúde (UBSs). “A vacina da polio fica disponível o ano todo e com a campanha pretendemos colocar em evidência essa ferramenta, que é a única forma de manter a doença erradicada”, destaca.

Leia mais  Número de pacientes internados com Covid-19 cai para 81 em Sorocaba
Rotarianos em visita ao jornal Cruzeiro do Sul. Crédito da foto: Emídio Marques

Cuidados

A poliomielite é causada pela infecção do polivírus, que se espalha por contato direto pessoa a pessoa e por contato com secreções. O vírus entra pela boca e nariz e se multiplica na garganta e no trato intestinal, alcançando a corrente sanguínea podendo atingir o cérebro. Quando a infecção ataca o sistema nervoso, destrói os neurônios motores e provoca paralisia nos membros inferiores. A poliomielite pode, inclusive, levar à morte se forem infectadas as células nervosas que controlam os músculos respiratórios e de deglutição.

O período de incubação do vírus varia entre 5 e 35 dias, mas a média é de duas semanas. Além da falta de imunização, más condições de saneamento básico também são agravantes para o contágio. Embora possa acometer adultos, a poliomielite é mais comum em crianças de zero a cinco anos, que são justamente o público alvo da campanha.

Comentários