Sorocaba e Região

Reintegração de posse desocupa 13 apartamentos no Carandá

Segundo a Associação de Moradores do bairro, famílias já haviam sido notificadas sobre a ação
Os apartamentos estavam ocupados de forma irregular. Foto: Fábio Rogério (12/6/2019)

Atualizada às 14h30

Após mais de dois anos morando em apartamentos do Residencial Carandá, na zona norte de Sorocaba, 13 famílias foram alvo de ação de reintegração de posse realizada na manhã desta quarta-feira . A ação foi planejada pelo Banco do Brasil, instituição financeira responsável pelo empreendimento. Segundo a Prefeitura de Sorocaba, o poder público acompanhou as tratativas da operação, que ocorreram em reuniões convocadas pelo banco para definir a estratégia para a retirada dos moradores irregulares.

Durante a reintegração, participaram as secretarias de Habitação e Regularização Fundiária (Sehab), Segurança Pública, por meio da Guarda Civil Municipal (GCM) e Igualdade e Assistência Social (Sias). Carretos foram disponibilizados pela Prefeitura de Sorocaba para transportar os pertences das famílias e a Polícia Militar coordenou a ação. De acordo com a Sehab, as famílias que deixaram os apartamentos ontem receberam orientação sobre como participar do programa habitacional. A Sias, por sua vez, encaminhou técnicos da pasta para orientar as famílias sobre as ferramentas sociais disponíveis em Sorocaba.

Leia mais  Moradores do Altos do Ipanema e Carandá reivindicam escola

 

Segundo Luciana Amaral, presidente da Associação de Moradores do Carandá, os imóveis invadidos estavam vazios e por isso as 13 famílias passaram a morar no local. “Sabemos que alguns apartamentos tinham dono, mas que não estavam morando lá e outros ainda não tinham proprietário definido. Se a Sehab e o banco não agirem rapidamente para entregar os apartamentos aos devidos donos, em breve pode ocorrer nova invasão”, disse. Luciana relata que atualmente há poucas unidades ocupadas irregularmente no residencial, que faz parte do programa Minha Casa Minha Vida.

Os imóveis que estavam na ação são de cinco condomínios do residencial: Jequitibá, Gerivas, Cedro, Manacá e Jacarandá. “A gente sabe que é errado invadir porque tem um dono, mas dá muita pena principalmente das crianças, que estavam chorando muito”, contou uma moradora do condomínio Cedro, que preferiu não se identificar. Ela relatou que neste condomínio foram retiradas duas famílias e que os policiais militares chegaram bem cedo ao local, por volta das 6h.

A Sehab e o Banco do Brasil foram questionados sobre quando os apartamentos reintegrados nesta quarta-feira serão disponibilizados para novos proprietários e como eles foram selecionados. O destino das famílias retiradas dos apartamentos também foi questionado pela reportagem do Cruzeiro do Sul, mas não houve resposta da pasta e nem da instituição financeira. O Residencial Carandá foi inaugurado em março de 2017 e é um dos maiores condomínios de apartamentos populares da Região Metropolitana de Sorocaba (RMS). Atualmente tem aproximadamente dez mil moradores.

Comentários

CLASSICRUZEIRO