Sorocaba e Região

Região de Sorocaba tem uma candidatura indeferida

Luiz Gonzaga quer concorrer à Alesp e diz que vai recorrer da decisão da Justiça Eleitoral
Região tem uma candidatura indeferida
As candidaturas foram contestadas tendo como base a Lei da Ficha Limpa. Crédito da foto: Fávio Rogério / Arquivo JCS (29/8/2018)

O Tribunal Regional Eleitoral (TRE) decidiu sobre a situação de Herculano Castilho Passos Junior (MDB) — de Itu –, que concorre a uma vaga na Câmara Federal, e Luiz Gonzaga Vieira de Camargo (PSDB) — de Tatuí –, que quer disputar uma vaga na Assembleia Legislativa do Estado (Alesp). As decisões foram tomadas na segunda-feira (17), prazo final do calendário eleitoral. Passos teve a candidatura deferida, já o pedido de impugnação de candidatura de Gonzaga foi julgado parcialmente procedente o seu registro foi indeferido.

Juízes do Tribunal Regional Eleitoral de São Paulo, por votação unânime, decidiram rejeitar o pedido de impugnação apresentado pela Procuradoria Geral do Estado (PGE) contra Herculano. Também por unanimidade, decidiram julgar improcedentes a notícia de inelegibilidade e a impugnação e ainda deferir o registro de sua candidatura. A Procuradoria alegava que Herculano “foi condenado à suspensão dos direitos políticos, em decisão proferida por órgão judicial colegiado, em virtude de ato doloso de improbidade administrativa que causou lesão ao patrimônio público”.

Leia mais  Candidatos da região de Sorocaba recebem R$ 7,3 milhões para campanha

 

Passos comentou a decisão e deferimento da candidatura. “Estou feliz que este julgamento tenha ocorrido antes das eleições. A previsão era de que ele acontecesse apenas depois do dia 7 de outubro. É importante frisar que a decisão pelo deferimento da nossa candidatura foi unânime, ou seja, o resultado foi de sete a zero. Vamos continuar com a nossa campanha com a mesma garra e determinação”, explana.

Tatuí

Região tem uma candidatura indeferida
Candidatura de Luiz Gonzaga à Assembleia Legislativa foi indeferida. Crédito da foto: Divulgação

Para Luiz Gonzaga Vieira de Camargo a situação foi diferente. O desembargador Federal Fábio Prieto de Souza julgou parcialmente procedente o pedido de impugnação e indeferiu o pedido de candidatura. A PGE relatou na ação casos de improbidade administrativa envolvendo o candidato na criação e contratação irregular de cargos entre 2005 e 2008. As penas previstas pela decisão judicial foram multa civil de três vezes o valor corrigido da remuneração do ex-prefeito na época das contratações, suspensão dos direitos políticos por quatro anos, entre outras. O caso envolvendo a nomeação de um secretário municipal também foi relatada no processo. Apesar de ter obrigação legal de ter dedicação exclusiva ao serviço público, o secretária teria atuado em atividades remuneradas fora da Prefeitura de Tatuí.

“Estou em campanha normalmente”, disse Gonzaga ontem ao comentar a decisão. Segundo ele, sua defesa vai recorrer ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) porque trata-se de uma situação pontual. “Há quatro anos aconteceu a mesma coisa. No final, o TSE deferiu a candidatura por unanimidade”, diz.

Os dois candidatos estavam na lista divulgada em 28 de agosto pela Procuradoria Regional Eleitoral de São Paulo (PRE-SP). As candidaturas foram contestadas pelo órgão com base nas inelegibilidades previstas na Lei da Ficha Limpa. Conforme já informado, Gonzaga irá recorrer da decisão. No caso de Passos, também cabe recurso à decisão.

Comentários